quinta-feira, 29 de abril de 2021

Elogio da língua portuguesa

 


Depoimentos
Dia Mundial da Língua Portuguesa

 

De 26 de abril a 5 de maio, o PNL2027 junta-se a várias figuras públicas relevantes para fazer o Elogio da Língua Portuguesa, com a publicação diária de depoimentos em vídeo, no seu portal e nas redes sociais.


Partilhamos o depoimento Paulo Feytor Pinto, da Associação de Professores para a Educação Intercultural





quarta-feira, 28 de abril de 2021

Pensamento Crítico

 





Guilherme Teles, Mariana Costa, Tomás Cardoso, Raquel Santos (do 11º A) e Inês Anjos (do 11º C) participaram, hoje, no Dia do pensamento crítico, um evento organizado pela UTAD.

Trata-se de uma espécie de "concurso de ideias", tendo por base o uso de competências de pensamento crítico e criativo na análise e resolução de problemas reais. Os seus grandes objetivos são:
  • consciencializar os diferentes participantes para a importância do pensamento crítico e criativo no mundo atual;
  • fomentar o uso do pensamento crítico e criativo, de forma sistemática e estruturada, como apoio à tomada de decisão.

O evento decorreu exclusivamente num formato online, entre as 8:30 e as 17:45, e contou com a presença de alunos (do ensino secundário e superior), professores e profissionais de diferentes áreas.


domingo, 25 de abril de 2021

25 de abril

 





Através da escrita diarística, da poesia ou do romance, os escritores registaram na e pela escrita o seu testemunho sobre a revolução de abril. 




Qual a cor da liberdade? É verde, verde e vermelha

 




Fazer duplo clic para visualizar os trabalhos dos alunos do 9º ano





🌹CANTIGA DE ABRIL

Às Forças Armadas e ao povo de Portugal
«Não hei-de morrer sem saber qual a cor da liberdade»
Jorge de Sena


Qual a cor da liberdade?
É verde, verde e vermelha.

Quase, quase cinquenta anos
reinaram neste pais,
e conta de tantos danos,
de tantos crimes e enganos,
chegava até à raiz.

Qual a cor da liberdade?
É verde, verde e vermelha.

Tantos morreram sem ver
o dia do despertar!
Tantos sem poder saber
com que letras escrever,
com que palavras gritar!

Qual a cor da liberdade?
É verde, verde e vermelha.

Essa paz de cemitério
toda prisão ou censura,
e o poder feito galdério.
sem limite e sem cautério,
todo embófia e sinecura.

Qual a cor da liberdade?
É verde, verde e vermelha.

Esses ricos sem vergonha,
esses pobres sem futuro,
essa emigração medonha,
e a tristeza uma peçonha
envenenando o ar puro.

Qual a cor da liberdade?
É verde. verde e vermelha.

Essas guerras de além-mar
gastando as armas e a gente,
esse morrer e matar
sem sinal de se acabar
por politica demente.

Qual a cor da liberdade?
É verde, verde e vermelha.

Esse perder-se no mundo
o nome de Portugal,
essa amargura sem fundo,
só miséria sem segundo,
só desespero fatal.

Qual a cor da liberdade?
É verde, verde e vermelha.

Quase, quase cinquenta anos
durou esta eternidade,
numa sombra de gusanos
e em negócios de ciganos,
entre mentira e maldade.

Qual a cor da liberdade?
E verde, verde e vermelha.

Saem tanques para a rua,
sai o povo logo atrás:
estala enfim altiva e nua,
com força que não recua,
a verdade mais veraz.

Qual a cor da liberdade?
É verde, verde e vermelha.

26-28(?)/4/1974

Obras de Jorge de Sena, "40 anos de servidão"
Edições 70, 1989




Clube de Leitura | Encontro online com Mia Couto

 


23 de abril | Dia Mundial do Livro


O Encontro com Mia Couto foi transmitido através do Youtube do PNL2027





A Alexandra, na Biblioteca, durante a sessão Zoom



Estiveram presentes na videoconferência, através da plataforma Zoom:
- Mia Couto, o escritor convidado;
- os alunos das escolas com Clubes de Leitura;
- os representantes do PNL2027: Elsa Cone (Subcomissária), Isabel Torres e Jorge Borges;
- o editor de Mia Couto: Zeferino Coelho.

Tal como já tinha acontecido com o Encontro com Ana Maria Magalhães e Isabel Alçada (dirigido aos Clubes de 3º Ciclo), o encontro com Mia Couto (dirigido a alunos do Ensino Secundário) foi um sucesso!

Os alunos colocaram um conjunto de questões pertinentes sobre o ato criativo da escrita literária, motivos recorrentes,influências, peculiaridade de mundividências e originalidade da escrita, e o escritor a todas respondeu com clareza e afabilidade.

Com duração prevista de uma hora (14:30-15:30), o Encontro acabaria por se prolongar até às 16:00 e, mesmo, assim, nem todos os alunos tiveram oportunidade de colocar as questões que tinham preparado para colocar ao escritor convidado.

Estiveram presentes na videoconferência, através da plataforma Zoom:
- os alunos porta-voz das escolas com Clubes de Leitura - a nossa escola esteve representada pela Alexandra Varela, do 11º B;
- os representantes do PNL2027: Elsa Conde (Subcomissária), Isabel Torres e Jorge Borges;
- o editor de Mia Couto (Caminho): Zeferino Coelho.

A sessão foi também transmitida através do Youtube do PNL2027, para todos os alunos (de escolas com ou sem Clube de Leitura) e público em geral.



sexta-feira, 23 de abril de 2021

ManiFESTA-te pela LEITURA participando na marcha virtual

 





Ao longo do dia, descarregue ou capture as imagens dos cartazes PNL, disponíveis nas redes sociais e no Portal do PNL2027, escreva as tuas palavras de ordem e partilhe-as nas redes, com a identificação @pnl2027 e #manifestatepelaleitura.


Ao longo do dia, veja os 10 vídeos com leituras feitas por mediadores culturais que o PNL2027 preparou para si – Se tu Lesses o que eu Li, uma proposta concretizada pela Andante e entretecida com as vozes e os corações de Ana Sofia Paiva, Andreia Brites, Cristina Paiva, Cristina Taquelim e Elsa Serra.


Às 14.30h, assiste ao Encontro em Linha com o escritor Mia Couto, autor moçambicano amplamente reconhecido, com quem o PNL vai animar os Clubes de Leitura nas Escolas. O Encontro dirige-se aos alunos do Ensino Secundário e será transmitido no Youtube do PNL2027.


A fechar o Programa do Dia Mundial do Livro, venha FALAR DE LIVROS, uma conversa às 16.30h com:
- Cristina Ovídio, da Livraria Menina e Moça;
- António Vaz Pato, estudante do Ensino Superior;
- Diogo Madre de Deus, da Editora Cavalo de Ferro;
- Teresa Calçada, Comissária do PNL2027;
- João Costa, Secretário de Estado Adjunto e da Educação.


quinta-feira, 22 de abril de 2021

terça-feira, 20 de abril de 2021

📅

 


ManiFESTA-te pela LEITURA
Online, 23 abril 2021
Faltam 3 dias!




É  o momento de pensares nas palavras de ordem para a maniFESTAtação.

O PNL2027 criou os cartazes
Agora é a tua vez de pensares nas palavras de ordem sobre a leitura, para no dia 23 de abril exibires o teu cartaz e te maniFESTAres online. 

Tens quatro modelos à escolha: 













Entretanto, também podes continuar a responder aos quizzes e desafios do PNL2027 e publicá-los no seu Instagram e Facebook.


sábado, 17 de abril de 2021

ManiFESTA-te pela LEITURA

 


#manifestatepelaleitura #pnl2027




No próximo dia 23 de abril celebra-se o Dia Mundial do Livro.

Para celebrar o evento, o Plano Nacional de Leitura (PNL2027) convida-nos a fazer parte da grande marcha pela leitura enquanto expressão individual e coletiva do gosto de ler e de partilhar com os outros o valor da leitura e disponibiliza, através das suas redes sociais, diversos materiais customizáveis e publicáveis online pelos manifestantes.


Partilhamos aqui alguns desses materiais que podem ser costumizados e publicados pelos manifestantes da leitura no Facebook e no Instagram do PNL2027.







sexta-feira, 9 de abril de 2021

10 Minutos a Ler | As escolhas do 11º C

 






Os livros selecionados pelos alunos do 11º C, no âmbito do projeto 10 Minutos a Ler.

Boas Leituras!


Dia do pensamento crítico - 2º edição

 








Promovido pela UTAD, o Dia do Pensamento Crítico, a realizar no próximo dia 28 de abril de 2021, é uma espécie de "concurso de ideias", que tem por base o uso de competências de pensamento crítico e criativo na análise e resolução de problemas reais. Os seus grandes objetivos são:
- consciencializar os diferentes participantes para a importância do pensamento crítico e criativo no mundo atual; 
- fomentar o uso do pensamento crítico e criativo, de forma sistemática e estruturada, como apoio à tomada de decisão.

O evento decorrerá exclusivamente num formato online, entre as 9:00 e as 17:30, e contará com a presença de alunos do ensino secundário e superior, professores e profissionais de diferentes áreas, como a saúde, a engenharia, o jornalismo, entre outras.

A representar a Camilo estará presente uma equipa de cinco alunos do 11º ano:


Guilherme Teles
Inês Costa Anjos
Mariana Costa
Raquel Santos
Tomás Cardoso









domingo, 4 de abril de 2021

A Páscoa e o depois, por Valter Hugo Mãe



Evie Hone, «Ressurrection», 1954. Centro de Arte Moderna




«O dia de Páscoa do ano de 2020 terá sido o que mais me enterneceu em todo o período de pandemia»: começa com estas palavras a página semanal que o escritor Valter Hugo Mãe assina hoje no “Notícias Magazine”, onde escreve sobre esse domingo, esperado e ao mesmo tempo inesperado pela surpresa e espontaneidade que o marcou.

«Lembro-me de acordar e escutar os vizinhos a gritarem Aleluia pelas janelas. Foi o dia inteiro assim. Por alguma comoção, alguém se lembrava de assomar a janela e anunciar a ressurreição de Cristo», recorda no suplemento do “Diário de Notícias” e “Jornal de Notícias”.

A palavra milagrada era em redor, vinha de homens e de mulheres, algo furtiva, e fazia o tempo respirar. Podia ser como um chuvisco de dois segundos que já ninguém testemunhava senão pelo fresco deixado sobre as coisas. A palavra Aleluia caia fresca sobre as coisas.

E prossegue: «Não podia haver melhor forma de acreditar em Cristo e viver a Páscoa. Essa forma que independia dos rituais costumeiros e se autonomizava na comoção de cada um. Pela alegria, pela fé, pela esperança de cada um, a Páscoa foi feita e distribuída entre todos. Vi uma profunda beleza nisso. Só vi beleza nisso».

Este ano, confessa, chega à Páscoa «expectante», talvez na esperança de que o relâmpago de 2020 deixe alguma forma de herança: «Seria perfeito que as tradições se reeducassem para isto: o sagrado deve deitar-se das mãos dos crentes. E só isso é fundamental. Uma Páscoa liberta pela emoção sincera das pessoas».

Cristo, conclui, foi no primeiro ano da pandemia «liberto ao som, no promontório das bocas, o lugar alto da palavra. A melhor Páscoa é a das pessoas que a expõem como alegria, sem temor».

Na mais recente edição do quinzenário “Jornal de Letras”, Valter Hugo Mãe escreve: «Cresci na iminência de ser monge, estar em fuga pelo silêncio, habitar a montanha, saber das árvores, das migrações dos pássaros e de todas as transumâncias mais do que da especulação dos dias, essa pressa de consumo e satisfação pueril, imparável».

E, ao refletir sobre a morte, interroga: «Se o mistério mais caro é o de haver depois, porque haveria eu de rejeitar a possibilidade de o auscultar?».


Rui Jorge Martins
Imagem: Valter Hugo Mãe | D.R.
Publicado em 04.04.2021

Cultura, S.

Cultura, S. (2021). A Páscoa e o depois, por Valter Hugo Mãe. Retrieved 4 April 2021, from https://snpcultura.org/a_pascoa_e_o_dep



sexta-feira, 2 de abril de 2021

Clube de Leitura | Encontro em linha com Mia Couto

 




Os Encontros em linha com escritores pretendem animar os Clubes de Leitura na Escola (CLE) ao longo do ano letivo.  

No dia 23 de abril – 6ª feira -, entre as 14h30 e as 15h30, através da plataforma Zoom, com transmissão via YouTube, terá lugar o terceiro destes encontros, com Mia Couto. 

Esta terceira sessão é dirigida aos alunos das escolas públicas ou privadas que frequentam o Ensino Secundário e respetivos professores. 

O autor possui inúmeras obras recomendadas pelo PNL2027. Uma delas deverá ser lida e discutida no contexto dos CLE, visando ser debatida em grande grupo, neste dia. 

As escolas integradas na iniciativa CLE, como a Camilo, têm prioridade na inscrição neste Encontro.