sábado, 17 de novembro de 2018

Encontro com autores (III)



Palestra | Auditório 1 | Dia 15 de novembro de 2018


Da importância da leitura na vida pessoal, académica e profissional. Assim se poderia titular a palestra de Moita Flores dirigida a alunos do 11º C e F e 12º  A, B, C, D e E e respetivos professores acompanhantes.

Da vida como livro ou do livro como vida. Das escolhas assumidas e consequentes. Da recusa do maniqueísmo pela impossibilidade ontológica de uma vida a preto e branco.

De textos e autores (sem despeitos, nem complexos) - Camilo, Antero, Umberto Eco, Eduardo Lourenço, António Nobre...

Uma fantástica lição!











 



Encontro com autores (II)




Tertúlia | Biblioteca | Dia 14 de novembro de 2018, às 21:00


O gosto precoce pelos livros alimentado pelas bibliotecas itinerantes da Gulbenkian, o amor pela leitura-escrita transmitido pelo professor de Português em Moura, a profissão que se cola à identidade como traço indelével, a incursão pela política, a experiência da escrita e guionismo para o cinema e a televisão, as pequenas curiosidades em torno da génese dos romances, o percurso académico assumido como aprendizagem ao longo da vida, a confidência que suscita a aproximação, de tudo isto o escritor falou, partilhando com os presentes - ora em tom emocionado, ora recorrendo ao humor e ao registo anedótico -, fragmentos do livro da sua vida.


Excelente serão!




 
  




Encontro com autores (I)



Cantinho de leitura








Para preparar o Encontro com o escritor Francisco Moita Flores, que aconteceu no passado dia 14 de novembro, a Biblioteca levou os livos até aos seus leitores : preparou um confortável cantinho de leitura, no átrio da Escola. 

Assim, quem por lá passou pôde sentar-se calmamente e viajar pelo mundo dos textos do autor.


Comandante Carvalho Araújo - a identidade de um herói


No centenário da morte de Carvalho Araújo (1918-2018)



No passado dia 10 de novembro, teve lugar, nos Paços do Concelho, a apresentação pública do livro "Comandante Carvalho Araújo - A identidade de um herói", de Joaquim Ribeiro Alves, prefaciado pela Vice-Presidente do Município de Vila Real, Eugénia Almeida.

A apresentadação esteve a cargo do diplomata vila-realense Francisco Seixas da Costa. 

A publicação desta biografia, por iniciativa do Município, constitui uma das muitas cerimónias que desde o mês de maio têm vindo a realizar-se em homenagem ao herói de Vila Real, José Botelho de Carvalho Araújo, oficial da Marinha Portuguesa, morto na Primeira Guerra Mundial.















Prevenir o extremisno violento



Guia do professor



 https://drive.google.com/open?id=15eb207KT-e2hF31tlMFOb8Ulg_MU7zHb






Do significado de tolerância






Declaração de princípios da UNESCO sobre Tolerância


"Artigo 1 - Significado de tolerância

1.1 A tolerância é o respeito, aceitação e valorização da rica diversidade das culturas do nosso mundo, nossas formas de expressão e formas de ser humano. É fomentado pelo conhecimento, abertura, comunicação e liberdade de pensamento, consciência e crença. A tolerância é harmonia na diferença. Não é apenas um dever moral, é também uma exigência política e legal. A tolerância, a virtude que torna a paz possível, contribui para a substituição da cultura de guerra por uma cultura de paz.


1.2 A tolerância não é concessão, condescendência ou indulgência. A tolerância é, acima de tudo, uma atitude ativa motivada pelo reconhecimento dos direitos humanos universais e das liberdades fundamentais dos outros. Em nenhuma circunstância pode ser usado para justificar violações desses valores fundamentais. A tolerância deve ser exercida por indivíduos, grupos e Estados.

1.3 A tolerância é a responsabilidade que defende os direitos humanos, o pluralismo (incluindo o pluralismo cultural), a democracia e o estado de direito. Envolve a rejeição do dogmatismo e do absolutismo e afirma os padrões estabelecidos nos instrumentos internacionais de direitos humanos.

1.4 Consistente com o respeito pelos direitos humanos, a prática da tolerância não significa tolerância à injustiça social ou ao abandono ou enfraquecimento das próprias convicções. Isso significa que a pessoa é livre para aderir às próprias convicções e aceita que as outras aderem às suas. Significa aceitar o fato de que os seres humanos, naturalmente diversos em sua aparência, situação, fala, comportamento e valores, têm o direito de viver em paz e ser como são. Isso também significa que as visões de alguém não devem ser impostas aos outros. "


Texto completo da Declaração.


Dia Internacional da Tolerância



 16 de novembro de 2018









Mensagem da Diretora-Geral da UNESCO, Audrey Azoulay


Nas últimas décadas, a globalização conheceu uma aceleração desenfreada. Este fenómeno parece estar caracterizado por uma forte ambivalência: por um lado, a globalização aproxima os Estados e os cidadãos, permite uma cooperação profícua em numerosos domínios; por outro lado, gera desequilíbrios, suscita medos e cria novas tensões. Os populismos, os discursos de incitação ao ódio e à exclusão prosperam com base na ansiedade provocada pelas desigualdades socioeconómicas, as migrações forçadas de populações, as recomposições sociais, o desafio ecológico.
Este Dia Internacional da Tolerância é uma ocasião para relembrar que a diversidade cultural é consubstancial às sociedades humanas, que é uma força, um motor de desenvolvimento, uma riqueza da qual todos nós podemos retirar um benefício desde que aprendamos a conhecer-nos, que percebamos o que cada cultura tem de universal e que adotemos uma atitude de tolerância perante o que nos parece, à primeira vista, estranho e diferente.
A tolerância não deve ser entendida como a mera disposição para tolerar o outro, mas como a aptidão para o respeitar e apreciar, compreender o valor profundo da sua cultura e reconhecer a igualdade de direitos de que gozam todas as pessoas enquanto ser humano. É este o sentido da definição dada na Declaração de Princípios sobre a Tolerância adotada pela UNESCO em 1995:
“A tolerância é o respeito, a aceitação e a apreciação da riqueza e da diversidade das culturas do nosso mundo, das nossas formas de expressão e das nossas maneiras de exprimir a nossa qualidade de seres humanos”.
A tolerância, que é simultaneamente virtude moral e princípio político, é um sólido baluarte contra o racismo e contra todas as discriminações. É um vetor de paz, que devemos cultivar e reforçar. É neste espírito que foi criado, por exemplo, o Prémio UNESCO-Madanjeet Singh para a promoção da tolerância e da não-violência (artista, escritor e diplomata indiano, Madanjeet Singh foi embaixador da Boa Vontade da UNESCO). Os laureados da edição de 2018 são a cineasta canadiana Manon Barbeau, que desenvolveu workshops audiovisuais itinerantes para sensibilizar para a diversidade das culturas e das línguas autóctones, e a ONG queniana The Coexist Initiative, que defende os direitos das mulheres e a luta contra os estereótipos de género.
Oxalá que estas iniciativas sejam para todos nós uma fonte de inspiração e um estímulo para cultivarmos a tolerância, agora e sempre.

sexta-feira, 16 de novembro de 2018

Achas que a Filosofia não serve para nada?






Trabalho realizado pela Isabel Santos, Inês Azevedo, Beatriz Azevedo e Ana Carolina Vale, alunas do 11º H.



Dia Mundial da Filosofia



A importância da Filosofia, hoje




Mensagem de Audrey Azoulay, Diretora-Geral da UNESCO, por ocasião do Dia Mundial da Filosofia

"A Filosofia prospera na necessidade humana de compreender o mundo que nos rodeia e identificar princípios pelos quais orientar as nossas ações. Esta necessidade antiga não é menos convincente hoje. Quase 3.000 anos após a filosofia ter surgido pela primeira vez na China, Oriente Médio e Grécia antiga, as questões levantadas na busca da sabedoria através dos tempos não perderam nada da sua relevância ou universalidade, antes pelo contrário.
Num mundo cada vez mais complexo - onde prevalece a incerteza, as mudanças sociais e as revoluções tecnológicas criam pontos de referência tradicionais, e enfrentamos enormes desafios sociais e políticos - a filosofia continua a ser um recurso vital. Permite-nos recuar e abrandar e ilumina o caminho a seguir. "

Leia AQUI a mensagem completa em formato PDF, em inglês.

Dia Mundial da Filosofia


"A liberdade só pode ser conquistada através da liberdade dos outros." - Simone de Beauvoir






Pense frequentemente. 

Pense criticamente. 

Pense de forma independente.


terça-feira, 13 de novembro de 2018

Da desumanização





Esta animação co-dirigida por Rafa Cano Méndez e Daniel Martínez Lara, que ganhou o Prémio Goya de Melhor Curta-Metragem de Animação, merece ser vista. 

Pela reivindicação do humano, da criatividade e da poesia!


domingo, 11 de novembro de 2018

Aula de Português e Flexibilidade Curricular





 https://drive.google.com/open?id=1k5gikEReNS3QHdL4giUT4cQw0JcnZCN-
Resumos das Comunicações apresentadas na 2.ª edição das IV 
Jornadas Pedagógicas da Associação de Professores de Português, 
que teve lugar em Lisboa, no dia 29 de setembro de 2018.








Nestas jornadas procurou-se:

promover a reflexão em torno de questões que se colocam aos professores de Português de todos os níveis de ensino, tendo como campo de atuação a escola e a sala de aula, no contexto da aplicação dos novos documentos de referência para o ensino do Português - Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória e Aprendizagens Essenciais de Português;

lançar desafios, oferecer testemunhos;

responder a questões emergentes na didática do português;

promover um debate aprofundado no contexto da aplicação da Autonomia e Flexibilidade Curricular.


A Biblioteca escolar no contexto da Flexibilidade curricular e do Perfil dos alunos




Educação em quatro dimensões



As competências que os alunos do século XXI precisam de desenvolver



Educação em Quatro Dimensões fornece uma rara e profunda conversa estratégica sobre educação. Ao questionar o consenso datado e muitas vezes não declarado sobre o que os jovens aprendem na escola, os autores deixam explícitos os limites sistémicos que moldam o que é aprendido. Desenhar linhas analíticas para definir o que é aprendido pode ser visto como um convite para permanecer nos limites existentes ou como um desafio para ir além dos limites e imaginar objetivos sistemicamente diferentes e a organização do aprendizado. Educação em Quatro Dimensões estimula os dois tipos de pensamento inovador.” Riel Miller, Chefe do Fórum Futuro, UNESCO




“O que os estudantes devem aprender numa era de busca online, robótica e inteligência artificial? A aceleração da tecnologia e a explosão da informação criam a necessidade urgente de repensar o sistema educacional tradicionalmente centrado no conteúdo. Começando com uma profunda explicação de como as necessidades da sociedade moderna e da força de trabalho estão a mudar, este livro desafia-nos a dar um grande salto no currículo escolar para refletir competências profundas, incluindo conhecimento moderno relevante.” Steve Vinter, Diretor, unidade em Cambridge, Google




 https://drive.google.com/open?id=1EqWdSMtbB02UJBrplOKIaHbaGHzc6mPq


Autores: Charles Fadel Maya Bialik Bernie Trilling
Título: Educação em quatro dimensões: as competências que os aprendentes precisam para ter êxito
Editor: Center for Curriculum Redesign, Boston 
Data de publicação: Outubro de 2015 
Nº de páginas: 192 páginas
ISBN: 978-85-623228-37-4







sábado, 10 de novembro de 2018

Pôr de lado o ego para encontrar a compaixão






Imam Faisal Abdul Rauf combina os ensinamentos do Alcorão, as histórias de Rumi e os exemplos de Maomé e Jesus, para demonstrar que existe apenas um obstáculo entre cada um de nós e absoluta compaixão - nós mesmos.

Dedicou-se a curar as relações entre os muçulmanos-americanos e os seus vizinhos e a levar essa mensagem de paz para o mundo muçulmano mais amplo.

Em 2003, o Imã Feisal Abdul Rauf fundou a Iniciativa Córdoba, uma organização internacional não partidária que trabalha para fornecer soluções inovadoras para o conflito entre comunidades muçulmanas e ocidentais. Ele também atua como presidente da Iniciativa, promovendo e moderando ativamente o diálogo entre indivíduos e grupos. 

Esse projeto não foi a primeira incursão do imã nas conversações inter-religiosas. Em 1997, iniciou a Sociedade Americana para o Avanço dos Muçulmanos (ASMA), um grupo que reúne muçulmanos e não-muçulmanos americanos por meio de programas em política, assuntos atuais e cultura.

Além disso, participa regularmente no Conselho de Relações Exteriores e do Fórum Económico Mundial (Davos e Mar Morto) e escreveu vários livros sobre o tema da paz para as relações do Islão.



Dia Mundial da Ciência



10 de novembro


Tema 2018: "Ciência, um direito humano"





Celebrado a cada 10 de novembro, o Dia Mundial da Ciência pela Paz e Desenvolvimento destaca o papel significativo da ciência na sociedade e a necessidade de envolver o público em geral em debates sobre questões científicas emergentes. Sublinha também a importância e relevância da ciência nas nossas vidas diárias.

Ao associar a ciência mais intimamente à sociedade, o Dia Mundial da Ciência pela Paz e Desenvolvimento visa assegurar que os cidadãos sejam mantidos informados sobre os desenvolvimentos na ciência. Ressalta também o papel que os cientistas desempenham na ampliação da nossa compreensão do notável e frágil planeta a que chamamos de lar e em tornar as nossas sociedades mais sustentáveis.

O Dia oferece a oportunidade de mobilizar todos os atores em torno do tema da Ciência para a paz e o desenvolvimento - desde autoridades governamentais até aos media e alunos das escolas. A UNESCO incentiva fortemente todos a participar na celebração desta efeméride. 

Os objetivos do Dia Mundial da Ciência pela Paz e Desenvolvimento são:
  • Fortalecer a consciencialização pública sobre o papel da ciência para sociedades pacíficas e sustentáveis;
  • Promover a solidariedade nacional e internacional para a ciência partilhada entre os países;
  • Renovar o compromisso nacional e internacional pelo uso da ciência em benefício das sociedades;
  • Chamar a atenção para os desafios enfrentados pela ciência e aumentar o apoio ao esforço científico.


Ao associar a ciência à sociedade, o Dia Mundial da Ciência pela Paz e Desenvolvimento visa assegurar que os cidadãos sejam mantidos informados sobre os desenvolvimentos na ciência. Também ressalta o papel que os cientistas desempenham na ampliação de nossa compreensão do notável e frágil planeta que chamamos de lar e em tornar as nossas sociedades mais sustentáveis.

O tema para 2018 é “Ciência, um direito humano”, em comemoração do 70º aniversário da Declaração Universal dos Direitos Humanos (art. 27), e da Recomendação sobre Ciência e Pesquisadores Científicos. Lembrando que todos têm o direito de participar e beneficiar da ciência, isso servirá para desencadear uma discussão global sobre as formas de melhorar o acesso à ciência e os benefícios da ciência para o desenvolvimento sustentável. (UNESCO)



                                                                              ⬕ Novembro, Mês da Ciência



Relatório de Ciência da UNESCO - Rumo a 2030




 http://unesdoc.unesco.org/images/0023/002354/235406e.pdf




A ciência será essencial para atingir muitas das metas da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável e, assim, garantir um futuro sustentável. O Relatório de Ciência da UNESCO: Rumo a 2030  é uma das ferramentas que os países podem usar para monitorizar o progresso em direção às metas da Agenda 2030.

A cada cinco anos, analisa as tendências emergentes da política e governança em ciência, tecnologia e inovação. A última edição foi publicada em novembro de 2015. A mensagem principal do Relatório pode ser resumida em apenas quatro palavras: mais pesquisa - melhor desenvolvimento.

Há duas décadas, Relatório de Ciência da UNESCO : Rumo a 2030, escrito por cerca de 60 especialistas, cada um cobrindo o país ou região onde reside, tem vindo a mapear regularmente a governança da Ciência, Tecnologia e Inovação (STI) em todo o mundo. O relatório é publicado a cada cinco anos, a 10 de novembro, para marcar o Dia Mundial da Ciência pela Paz e pelo Desenvolvimento.

Como o STI não evolui no vácuo, esta última edição resume a evolução desde 2010, tendo como pano de fundo as tendências socioeconómicas, geopolíticas e ambientais que ajudaram a moldar a política e a governança contemporânea das CTI.

As tendências e os desenvolvimentos na ciência, tecnologia, política de inovação e governança entre 2010 e meados de 2015 aqui descritos fornecem informações essenciais básicas sobre as preocupações e prioridades dos países que devem orientar a implementação e orientar a avaliação da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável nos próximos anos.

Resumo Executivo do Relatório, elaborado em língua portuguesa, pode ser consultado AQUI (pdf).

                                                                                                    
                                                                                             ⬕ Novembro, Mês da Ciência




sexta-feira, 9 de novembro de 2018

Encontros com autores





A Biblioteca da Camilo vai promover mais um Encontro com autores, com a colaboração dos docentes da escola e com o apoio da Leya. 

Assim, na próxima quinta-feira, o escritor Francisco Moita Flores virá à nossa escola para mais em Encontro com autores, dirigido a alunos do Ensino Secundário.

A palestra terá lugar no Auditório 1, às 10-05.

Na véspera, quarta-feira, à noite, às 21:00, haverá uma Tertúlia com o escritor dirigida a toda a comunidade escolar e educativa.


quinta-feira, 8 de novembro de 2018

Revista Blimunda 77


20 anos do Prémio Nobel


OUTUBRO 2018



Descarregar (pdf)
Ler no Scribd







"Há 20 anos, José Saramago era distinguido com o Prémio Nobel de Literatura, o primeiro para a língua portuguesa. Esta edição da revista Blimunda é-lhe totalmente dedicada e conta com textos de António Costa, Primeiro-Ministro de Portugal, Carlos Reis, Professor catedrático da Universidade de Coimbra, Pedro Sánchez, Presidente do Governo de Espanha, Jerónimo de Sousa, Secretário-geral do Partido Comunista Português, Pilar del Río, Presidenta da Fundação José Saramago, Ricardo Viel, autor do livro Um país levantado em alegria, e Roberto Gastão Saraiva, vencedor do concurso de ensaios do Congresso Internacional “José Saramago: 20 anos com o Prémio Nobel”, além de uma análise sobre a escolha do livro O Lagarto para integrar o catálogo da Biblioteca Internacional da Juventude."

As palavras | Gostar de ler


As palavras escondem histórias que nos emocionam e nos fazem sonhar...




Educação & Ciência





 

 

 



                                                                                               ⬕ Novembro, Mês da Ciência


Compaixão e o verdadeiro significado de empatia








Ativista, antropóloga, autora, cuidadora, ecologista, pesquisadora de LSD, professora e sacerdotisa do Budismo-Zen, Joan Halifax trabalha com pessoas na última etapa da vida (no hospício e no corredor da morte). Ela partilha o que aprendeu sobre compaixão diante da morte e dos moribundos e uma profunda percepção da natureza da empatia.


domingo, 4 de novembro de 2018

Miúdos a votos



A importância do voto, pela youtuber Peperan:

  




Para que é que votamos? 
6 perguntas e respostas sobre eleições que  revista Visão preparou para ti.
 
 

Miúdos a votos | Sobre o conceito de democracia



O youtuber e animador de rádio Conguito explica o conceito de democracia:



  




Miúdos a votos | A importância do voto


 #paradetequeixar


  



Sabes para que servem as eleições? 
Imaginas quantos tipos de eleições há?
Estas são algumas das perguntas a que este vídeo tenta dar resposta, de forma simples e acessível. É feito em stop motion, o que lhe dá uma caráter único!
Para de te queixar... e vai votar!
 
É este o mote de uma campanha, promovida pela Comissão Nacional de Eleições, que quer sensibilizar as pessoas da tua idade para a importância do voto.