terça-feira, 13 de novembro de 2018

Da desumanização





Esta animação co-dirigida por Rafa Cano Méndez e Daniel Martínez Lara, que ganhou o Prémio Goya de Melhor Curta-Metragem de Animação, merece ser vista. 

Pela reivindicação do humano, da criatividade e da poesia!


domingo, 11 de novembro de 2018

Aula de Português e Flexibilidade Curricular





 https://drive.google.com/open?id=1k5gikEReNS3QHdL4giUT4cQw0JcnZCN-
Resumos das Comunicações apresentadas na 2.ª edição das IV 
Jornadas Pedagógicas da Associação de Professores de Português, 
que teve lugar em Lisboa, no dia 29 de setembro de 2018.








Nestas jornadas procurou-se:

promover a reflexão em torno de questões que se colocam aos professores de Português de todos os níveis de ensino, tendo como campo de atuação a escola e a sala de aula, no contexto da aplicação dos novos documentos de referência para o ensino do Português - Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória e Aprendizagens Essenciais de Português;

lançar desafios, oferecer testemunhos;

responder a questões emergentes na didática do português;

promover um debate aprofundado no contexto da aplicação da Autonomia e Flexibilidade Curricular.


A Biblioteca escolar no contexto da Flexibilidade curricular e do Perfil dos alunos




Educação em quatro dimensões



As competências que os alunos do século XXI precisam de desenvolver



Educação em Quatro Dimensões fornece uma rara e profunda conversa estratégica sobre educação. Ao questionar o consenso datado e muitas vezes não declarado sobre o que os jovens aprendem na escola, os autores deixam explícitos os limites sistémicos que moldam o que é aprendido. Desenhar linhas analíticas para definir o que é aprendido pode ser visto como um convite para permanecer nos limites existentes ou como um desafio para ir além dos limites e imaginar objetivos sistemicamente diferentes e a organização do aprendizado. Educação em Quatro Dimensões estimula os dois tipos de pensamento inovador.” Riel Miller, Chefe do Fórum Futuro, UNESCO




“O que os estudantes devem aprender numa era de busca online, robótica e inteligência artificial? A aceleração da tecnologia e a explosão da informação criam a necessidade urgente de repensar o sistema educacional tradicionalmente centrado no conteúdo. Começando com uma profunda explicação de como as necessidades da sociedade moderna e da força de trabalho estão a mudar, este livro desafia-nos a dar um grande salto no currículo escolar para refletir competências profundas, incluindo conhecimento moderno relevante.” Steve Vinter, Diretor, unidade em Cambridge, Google




 https://drive.google.com/open?id=1EqWdSMtbB02UJBrplOKIaHbaGHzc6mPq


Autores: Charles Fadel Maya Bialik Bernie Trilling
Título: Educação em quatro dimensões: as competências que os aprendentes precisam para ter êxito
Editor: Center for Curriculum Redesign, Boston 
Data de publicação: Outubro de 2015 
Nº de páginas: 192 páginas
ISBN: 978-85-623228-37-4







sábado, 10 de novembro de 2018

Pôr de lado o ego para encontrar a compaixão






Imam Faisal Abdul Rauf combina os ensinamentos do Alcorão, as histórias de Rumi e os exemplos de Maomé e Jesus, para demonstrar que existe apenas um obstáculo entre cada um de nós e absoluta compaixão - nós mesmos.

Dedicou-se a curar as relações entre os muçulmanos-americanos e os seus vizinhos e a levar essa mensagem de paz para o mundo muçulmano mais amplo.

Em 2003, o Imã Feisal Abdul Rauf fundou a Iniciativa Córdoba, uma organização internacional não partidária que trabalha para fornecer soluções inovadoras para o conflito entre comunidades muçulmanas e ocidentais. Ele também atua como presidente da Iniciativa, promovendo e moderando ativamente o diálogo entre indivíduos e grupos. 

Esse projeto não foi a primeira incursão do imã nas conversações inter-religiosas. Em 1997, iniciou a Sociedade Americana para o Avanço dos Muçulmanos (ASMA), um grupo que reúne muçulmanos e não-muçulmanos americanos por meio de programas em política, assuntos atuais e cultura.

Além disso, participa regularmente no Conselho de Relações Exteriores e do Fórum Económico Mundial (Davos e Mar Morto) e escreveu vários livros sobre o tema da paz para as relações do Islão.



Dia Mundial da Ciência



10 de novembro


Tema 2018: "Ciência, um direito humano"





Celebrado a cada 10 de novembro, o Dia Mundial da Ciência pela Paz e Desenvolvimento destaca o papel significativo da ciência na sociedade e a necessidade de envolver o público em geral em debates sobre questões científicas emergentes. Sublinha também a importância e relevância da ciência nas nossas vidas diárias.

Ao associar a ciência mais intimamente à sociedade, o Dia Mundial da Ciência pela Paz e Desenvolvimento visa assegurar que os cidadãos sejam mantidos informados sobre os desenvolvimentos na ciência. Ressalta também o papel que os cientistas desempenham na ampliação da nossa compreensão do notável e frágil planeta a que chamamos de lar e em tornar as nossas sociedades mais sustentáveis.

O Dia oferece a oportunidade de mobilizar todos os atores em torno do tema da Ciência para a paz e o desenvolvimento - desde autoridades governamentais até aos media e alunos das escolas. A UNESCO incentiva fortemente todos a participar na celebração desta efeméride. 

Os objetivos do Dia Mundial da Ciência pela Paz e Desenvolvimento são:
  • Fortalecer a consciencialização pública sobre o papel da ciência para sociedades pacíficas e sustentáveis;
  • Promover a solidariedade nacional e internacional para a ciência partilhada entre os países;
  • Renovar o compromisso nacional e internacional pelo uso da ciência em benefício das sociedades;
  • Chamar a atenção para os desafios enfrentados pela ciência e aumentar o apoio ao esforço científico.


Ao associar a ciência à sociedade, o Dia Mundial da Ciência pela Paz e Desenvolvimento visa assegurar que os cidadãos sejam mantidos informados sobre os desenvolvimentos na ciência. Também ressalta o papel que os cientistas desempenham na ampliação de nossa compreensão do notável e frágil planeta que chamamos de lar e em tornar as nossas sociedades mais sustentáveis.

O tema para 2018 é “Ciência, um direito humano”, em comemoração do 70º aniversário da Declaração Universal dos Direitos Humanos (art. 27), e da Recomendação sobre Ciência e Pesquisadores Científicos. Lembrando que todos têm o direito de participar e beneficiar da ciência, isso servirá para desencadear uma discussão global sobre as formas de melhorar o acesso à ciência e os benefícios da ciência para o desenvolvimento sustentável. (UNESCO)



                                                                              ⬕ Novembro, Mês da Ciência



Relatório de Ciência da UNESCO - Rumo a 2030




 http://unesdoc.unesco.org/images/0023/002354/235406e.pdf




A ciência será essencial para atingir muitas das metas da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável e, assim, garantir um futuro sustentável. O Relatório de Ciência da UNESCO: Rumo a 2030  é uma das ferramentas que os países podem usar para monitorizar o progresso em direção às metas da Agenda 2030.

A cada cinco anos, analisa as tendências emergentes da política e governança em ciência, tecnologia e inovação. A última edição foi publicada em novembro de 2015. A mensagem principal do Relatório pode ser resumida em apenas quatro palavras: mais pesquisa - melhor desenvolvimento.

Há duas décadas, Relatório de Ciência da UNESCO : Rumo a 2030, escrito por cerca de 60 especialistas, cada um cobrindo o país ou região onde reside, tem vindo a mapear regularmente a governança da Ciência, Tecnologia e Inovação (STI) em todo o mundo. O relatório é publicado a cada cinco anos, a 10 de novembro, para marcar o Dia Mundial da Ciência pela Paz e pelo Desenvolvimento.

Como o STI não evolui no vácuo, esta última edição resume a evolução desde 2010, tendo como pano de fundo as tendências socioeconómicas, geopolíticas e ambientais que ajudaram a moldar a política e a governança contemporânea das CTI.

As tendências e os desenvolvimentos na ciência, tecnologia, política de inovação e governança entre 2010 e meados de 2015 aqui descritos fornecem informações essenciais básicas sobre as preocupações e prioridades dos países que devem orientar a implementação e orientar a avaliação da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável nos próximos anos.

Resumo Executivo do Relatório, elaborado em língua portuguesa, pode ser consultado AQUI (pdf).

                                                                                                    
                                                                                             ⬕ Novembro, Mês da Ciência