sexta-feira, 30 de junho de 2017

Revistas de Ciência Elementar




Disponível para consulta na Biblioteca


 http://rce.casadasciencias.org/rceapp/static/docs/revistas/rce_v5n2.pdf
Clicar na imagem para aceder à versão digital da Revista


Está disponível na biblioteca a versão impressa do Volume 5, nº 2 da Revista de Ciência Elementar, uma publicação trimestral da Casa das Ciências.





"A Revista de Ciência Elementar é uma publicação trimestral, que discute conceitos de Ciência Elementar, sempre com um rigor superior. Esta revista dirige-se a um público alargado de professores do ensino básico e secundário, aos estudantes de todos os níveis de ensino e a todos aqueles que se interessam pela Ciência.

A Revista de Ciência Elementar abrange as áreas da Matemática, Física, Química, Biologia e Geologia e publica artigos de apresentação rigorosa de conceitos científicos, artigos de visão crítica de alguma realidade atual, e comunicações sobre experiências de sucesso no ensino e divulgação das ciências."

"A Casa das Ciências é um portal de base colaborativa que recolhe, valida e divulga materiais digitais para servir os professores de ciências dos diferentes níveis de ensino."




Para aceder à versão digital dos números publicados até, aqui clicar nas imagens que se seguem.





Número 1 | Outubro a Dezembro 
Volume 1 | Ano 2013


 http://rce.casadasciencias.org/rceapp/static/docs/revistas/rce_v1n1.pdf
Volume 1, nº 1




Número 1 | Janeiro a Março 
Volume 2 | Ano 2014


 http://rce.casadasciencias.org/rceapp/static/docs/revistas/rce_v2n1.pdf
Volume 2, nº 1




Número 2 | Abril a Junho 
Volume 2 | Ano 2014


 http://rce.casadasciencias.org/rceapp/static/docs/revistas/rce_v2n2.pdf
Volume 2, nº 2





Número 3 | Julho a Setembro 
Volume 2 | Ano 2014


 http://rce.casadasciencias.org/rceapp/static/docs/revistas/rce_v2n3.pdf
Volume 2, nº 3



Número 4 | Outubro a Dezembro 
Volume 2 | Ano 2014


 http://rce.casadasciencias.org/rceapp/static/docs/revistas/rce_v2n4.pdf
Volume 2, nº 4




Número 1 | Janeiro a março 
Volume 3 | Ano 2015


 http://rce.casadasciencias.org/rceapp/static/docs/revistas/rce_v3n1.pdf
Volume 3, nº1





Número 2 | Abril a Junho 
Volume 3 | Ano 2015



 http://rce.casadasciencias.org/rceapp/static/docs/revistas/rce_v3n2.pdf
Volume 3, nº 2




Número 3 | Julho a Setembro
Volume 3 | Ano 2015


 http://rce.casadasciencias.org/rceapp/static/docs/revistas/rce_v3n3.pdf
Volume 3, nº 3



Número 4 | Outubro a Dezembro
Volume 3 | Ano 2015


 http://rce.casadasciencias.org/rceapp/static/docs/revistas/rce_v3n4.pdf
Volume 3, nº 4



Número 1 | Janeiro a Março
Volume 4 | Ano 2016



 http://rce.casadasciencias.org/rceapp/static/docs/revistas/rce_v4n1.pdf
Volume 4, nº 1



Números 2 e 3 | Abril a Outubro
Volume 4 | Ano 2016


 http://rce.casadasciencias.org/rceapp/static/docs/revistas/rce_v4n2.pdf
Volume 4, nº 2 e 3



Número 4 | Novembro a Dezembro
Volume 4 | Ano 2016


 http://rce.casadasciencias.org/rceapp/static/docs/revistas/rce_v4n4.pdf
Volume 4, nº 4




Número 1 | março 
Volume 5 | Ano 2017


 http://rce.casadasciencias.org/rceapp/static/docs/revistas/rce_v5n1.pdf
Volume 5, nº 1



quarta-feira, 28 de junho de 2017

Pensamentos






“A verdade do humano não está no rol das datas da sua vida, mas no relato que cada um faz das suas alegrias, sofrimentos e esperanças. A verdade do humano é a sua palavra em eco à Palavra, tecida no diálogo interior em que o Verbo indica o caminho, a verdade e a vida.”

José Augusto Mourão, Quem vigia o vento não semeia



Se tu viesses ver-me, de Florbela Espanca






Se Tu Viesses Ver-me...

Se tu viesses ver-me hoje à tardinha, 
A essa hora dos mágicos cansaços, 
Quando a noite de manso se avizinha, 
E me prendesses toda nos teus braços... 

Quando me lembra: esse sabor que tinha 
A tua boca... o eco dos teus passos... 
O teu riso de fonte... os teus abraços... 
Os teus beijos... a tua mão na minha... 

Se tu viesses quando, linda e louca, 
Traça as linhas dulcíssimas dum beijo 
E é de seda vermelha e canta e ri 

E é como um cravo ao sol a minha boca... 
Quando os olhos se me cerram de desejo... 
E os meus braços se estendem para ti... 

Florbela Espanca, in "Charneca em Flor" 


PNL - Ler+


Entrega de prémios da Semana da Leitura 2017



Teresa Calçada




segunda-feira, 26 de junho de 2017

Prémio Nacional de Ilustração 2017


atribuído a Fátima Afonso



1º Prémio: Fátima Afonso


"O Prémio Nacional de Ilustração distinguiu Fátima Afonso com o livro ‘Sonho com Asas’. Foram, ainda, atribuídas duas menções honrosas a Catarina Sobral, pela ilustração do livro ‘Tão, tão Grande’ (Orfeu Negro), a Tiago Albuquerque e a Nádia Albuquerque, pelo livro ‘Sou o Lince-Ibérico’ (Imprensa Nacional-Casa da Moeda).



Menção honrosa: Catarina Sobral


Menção honrosa: 
Tiago Albuquerque e a Nádia Albuquerque


O Prémio Nacional de ilustração, criado em 1996, é atribuído pela DGLAB e visa promover o reconhecimento da ilustração original e de qualidade nos livros para crianças e jovens.

Sonho com Asas’, nomeado SPA/RTP como um dos três melhores livros infantojuvenis 2016, da autoria de Teresa Marques com ilustrações de Fátima Afonso, editado pela Kalandraka, contém, segundo o júri, imagens de “enorme valor poético e carga metafórica”.

Fátima Afonso dedica-se, há 17 anos, à ilustração de livros para crianças e conta com mais de 20 livros publicados. Representou Portugal na Feira do Livro Infantil de Bolonha e venceu com o ‘Sonho com Asas’ o 2º prémio do Prémio Internacional Compostela de Álbuns Ilustrados." 



domingo, 25 de junho de 2017

Escute Primeiro!

















Dia Internacional Contra o Abuso de Drogas e o Tráfico Ilícito







26 de junho é o Dia Internacional Contra o Abuso de Drogas e o Tráfico Ilícito.


Vamos garantir que "Ouvimos primeiro" - #ListenFirst - e ajudar crianças e jovens a crescer saudáveis e seguros.


Ao ouvir com sensibilidade e empatia, todos nós podemos exercer uma influência positiva sobre as crianças e os seus comportamentos de risco.


Junte-se à campanha do Thunderclap do UNODC (United Nations Office on Drugs and Crime) e convide os seus amigos a espalhar a mensagem!






Poe ler AQUI as Observações do Diretor Executivo do UNODC, Yury Fedotov, sobre o lançamento do Relatório Mundial de Drogas e AQUI a mensagem do Dia internacional contra o abuso de drogas e tráfico ilícito.




Dia da Carta das Nações Unidas



26 de junho


Nós, os povos





No dia 26 de junho, celebram-se os 72 anos da Carta das Nações Unidas. A Carta foi assinada em São Francisco, a 26 de junho de 1945, após o encerramento da Conferência das Nações Unidas sobre Organização Internacional, entrando em vigor a 24 de outubro daquele mesmo ano.

O Estatuto do Tribunal Internacional de Justiça faz parte integrante da Carta.


Ler AQUI a Carta das Nações Unidas.



sexta-feira, 23 de junho de 2017

S. João








S. João – reparem nisto –
teve este grande condão
ao baptizar Jesus Cristo
foi quem fez Cristo cristão.

António Aleixo

No dia de S.João




Fernando Pessoa | Poesia de cariz popular
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~




Ilustração: Renata Carneiro



Lá por olhar para ti
Não julgues que é por gostar.
Eu gosto muito do sol,
E nem o posso fitar.

Compreender um ao outro
É um jogo complicado,
Pois quem engana não sabe
Se não estava enganado.

Dei-lhe um beijo ao pé da boca
Por a boca se esquivar.
A ideia talvez foi louca,
O mal foi não acertar.

Duas horas te esperei
Dois anos te esperaria.
Dize: devo esperar mais?
Ou não vens porque inda é dia?

No dia de S. João
Há fogueiras e folias
Gozam uns e outros não,
Tal qual como os outros dias.

Quando compões o cabelo
Com tua mão distraída
Fazes-me um grande novelo
No pensamento da vida.

E ao acabar estes versos
Feitos em modo menor
Cumpre prestar homenagem
À bebedeira do cantor.

Diários de Guerra



Léon PYARD, journal de guerre (extrait page 31) 
http://europeana.eu/portal/record/2020601/attachments_94956_9947_94956_original_94956_jpg.html. Pyard; Léon. Europeana 1914-1918 - http://www.europeana1914-1918.eu/en/contributions/9947. CC BY-SA - http://creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0/ 






Diário de Guerra escrito por Léon Pyard a partir de 24 de março de 1915, durante a sua convalescência no hospital de Marselha. Aí, ele narra o início da sua guerra, de 29 janeiro a 21 fevereiro de 1915, e a organização da sua vida nas trincheiras, até à sua hospitalização. As 30 primeiras páginas do diário perderam-se. 

Mais diários da Primeira Guerra Mundial disponibilizados pela Europeana Collections podem ser acedidos AQUI.



European Film Gateway



A I Guerra Mundial









Desde fevereiro de 2013, o European Film Gateway dá acesso a um número crescente de filmes relacionados com a Primeira Guerra Mundial. Os arquivos de filmes europeus que contribuíram para o EFG digitalizaram partes consideráveis das suas coleções da Primeira Guerra Mundial no âmbito do projeto financiado pela UE EFG1914. Divulgados a tempo do centenário da Primeira Guerra Mundial, no início de 2014, todos os filmes digitalizados no projeto podem ser acedidos através do European Film Gateway 




A palavra, a biblioteca, o fogo, a paixão




A Biblioteca em Fogo, de Maria Helena Vieira da Silva (1974)
Fundação Calouste Gulbenkian - Portugal







li algures que os gregos antigos não escreviam necrológios,
quando alguém morria perguntavam apenas:
tinha paixão?
quando alguém morre também eu quero saber da qualidade da sua paixão:
se tinha paixão pelas coisas gerais,
água,
música,
pelo talento de algumas palavras para se moverem no caos,
pelo corpo salvo dos seus precipícios com destino à glória,
paixão pela paixão,
tinha?
e então indago de mim se eu próprio tenho paixão,
se posso morrer gregamente,
que paixão?
os grandes animais selvagens extinguem-se na terra,
os grandes poemas desaparecem nas grandes línguas que desaparecem,
homens e mulheres perdem a aura
na usura,
na política,
no comércio,
na indústria,
dedos conexos, há dedos que se inspiram nos objectos à espera,
trémulos objectos entrando e saindo
dos dez tão poucos dedos para tantos
objectos do mundo
¿e o que há assim no mundo que responda à pergunta grega,
pode manter-se a paixão com fruta comida ainda viva,
e fazer depois com sal grosso uma canção curtida pelas cicatrizes,
palavra soprada a que forno com que fôlego,
que alguém perguntasse: tinha paixão?
afastem de mim a pimenta-do-reino, o gengibre, o cravo-da-índia,
ponham muito alto a música e que eu dance,
fluido, infindável,
apanhado por toda a luz antiga e moderna,
os cegos, os temperados, ah não, que ao menos me encontrasse a 
paixão e eu me perdesse nela,
a paixão grega 
A faca não corta o fogo, de Herberto Hélder



Posters Art Nouveau





Boon's geillustreerd Magazijn | Criador: Caspel, Johann van and Senefelder
Instituição: Museum für Kunst und Gewerbe Hamburg




A Europeana Collections disponibiliza uma coleção de 26 posters Art Nouveau que pode ser acedida AQUI





Cinemateca



Já está disponível a edição de julho

 http://www.cinemateca.pt/CinematecaSite/media/Documentos/julho_2017.pdf

julho 2017 | Cinemateca Portuguesa-Museu do Cinema


PROGRAMA

Fantasmas ao nosso encontro | James Gray em contexto | In Memoriam Baptista-Bastos A Cinemateca com o Curtas de Vila do Conde | Double Bill | Histórias do Cinema: Cyril Neyrat / Chantal Akerman | Filmes Portugueses Legendados | História Permanente do Cinema Português | Imagem Por Imagem (Cinema de Animação) | Cinema na Esplanada



"A palavra – fantasma – vem do grego phántasma, pelo latim phantasma, para referir espectro ou alma do outro mundo; quimera; visão que amedronta. Além de definir alguém macilento e abatido, de se associar ao sonho e à imaginação exaltada, adjetivar aquilo que não pertence ao mundo real, aplicável, por exemplo, a navios. Já fantasmagoria “é a arte de fazer aparecer fantasmas ou figuras luminosas no escuro”, associando-se a origem do termo à tecnologia dos espetáculos de lanterna mágica de finais do século XVIII, início do século XIX. Foi antes que os fantasmas viessem ao nosso encontro numa projeção de cinema em sala escura – na expressão do mais citado dos intertítulos (apócrifos) de Murnau, NOSFERATU (1922), “Quando chegou ao outro lado da ponte, os fantasmas vieram ao seu encontro.” Na linhagem dos espetáculos ilusionistas de espectros, da câmara escura e da projeção de luz através de vidros e de lentes, o cinema convoca-os sempre. Figurando-os, representando-os, sugerindo-os. Este programa de 37 títulos, 37 filmes que atravessam a História do cinema dos primórdios à contemporaneidade – o filme cronologicamente mais recuado é um Méliès, LE MANOIR DU DIABLE, de 1897; o mais recente, um Kiyoshi Kurosawa de 2015, RUMO À OUTRA MARGEM –, propõe o encontro com três estirpes de fantasmas: a da sua conotação romântica, devedora da tradição literária (a de THE GHOST AND MRS. MUIR); a da relação com o terror fantástico (a de THE FOG); a que mostra assombrações mentais, subjetivas, obsessivas (a de SECRET BEYOND THE DOOR, a de VERTIGO)." 
(do "Índice" - Sala M. Félix Ribeiro | Esplanada Fantasmas ao nosso encontro - pág.2).



O cinema também se lê. Edições da Cinemateca.


quinta-feira, 22 de junho de 2017

Teolinda Gersão distinguida com Prémio Camilo Castelo Branco



Foto: escritores.online


"A autora Teolinda Gersão foi distinguida com o Grande Prémio de Conto “Camilo Castelo Branco” APE/C.M. de Vila Nova de Famalicão, pela sua obra Prantos, amores e outros desvarios, publicada pela Porto Editora.

O Júri, constituído por Cristina Robalo Cordeiro, Raquel Camacho e Salvato Teles de Menezes decidiu por unanimidade a atribuição do Prémio pelo «Domínio total das características do conto. Língua cuidada, elegante, erudita. Unidade temática. Transcendência. A capacidade de surpreender sucessivamente no conto seguinte, sendo que o anterior parecia ter sido, indubitavelmente, magistral»".



segunda-feira, 19 de junho de 2017

Dia Mundial do Refugiado


Exposição






Está patente na biblioteca uma exposição de trabalhos realizados pelos alunos do 9º B e C, na disciplina de Geografia. 

Conteúdo curricular explorado: "Soluções criativas para atenuar os contrastes de desenvolvimento" - o grupo dos refugiados.






 

 








Atividade inserida no PAA da Biblioteca. 

Coordenação: Professora Lurdes Lúcio


Dia Mundial do Refugiado


20 de junho

"não há maior dor no mundo que a perda da sua terra natal" - Eurípedes (431 a.c.)







No dia 20 de junho, o mundo celebra a força, a coragem e a resiliência de milhões de refugiados.







World Press Cartoon 2017








O cartoonista iraniano Alireza Pakdel venceu o Grande Prémio do World Press Cartoon (WPC) 2017, com esta imagem sobre o drama dos refugiados. 





domingo, 18 de junho de 2017

Exames 2017


1ª FASE







Consulta AQUI o calendário 2017 de Exames / Provas de Equivalência à Frequência do Ensino Secundário e do 3º Ciclo