sexta-feira, 31 de outubro de 2014

MIBE 2014 | Formação de utilizadores

 
 

Outubro: Sessão de formação de utilizadores na Biblioteca

Público alvo: alunos de 7º ano

 
 
 
 
 
 
   

 






 
 
 
 
 

quinta-feira, 30 de outubro de 2014

Exposição | Charivari


Charivari, Semanário Humorístico Ilustrado

de 3 de novembro a 3 de dezembro





Na próxima segunda feira, dia 3 de novembro, pelas 18h 15m, é inaugurada a Exposição "Charivari - Semanário Humorístico Ilustrado", no espaço de exposições da nossa Biblioteca.

 Trata-se de uma oportunidade rara de ver de perto um conjunto 48 quadros com originais de desenhos satíricos de uma publicação secular, impressa no Porto, numa tipografia a vapor, nos finais do Século XIX (1887-1891). As ilustrações são um retrato da época, representando uma mordaz crítica social, política e económica do país.

A coleção agora exposta, organizada pelo Clube de Colecionadores de Gaia, chega até nós ao abrigo da parceria da BE com a Fundação Casa-Museu Maurício Penha.
Cabe ao presidente da referida Fundação, Dr. José Carlos Boura, a presentação da exposição, que estará aberta a toda a Comunidade durante o mês de novembro.







 

sexta-feira, 24 de outubro de 2014

MIBE 2014 | Formação de utilizadores


Visita do 7º A e B à Biblioteca da Escola








Impressões


No dia 24 de outubro, a turma do 7º A fez uma visita guiada à Biblioteca da sua nova escola. Na minha opinião, esta visita foi muito interessante. [...]

Ficámos a saber que a nossa escola é a única com o curso de Artes em Vila Real e que tem mais de 150 anos de existência.

Os armários situados no corredor vermelho têm livros muito antigos. Estão lá para estarem protegidos do sol e da humidade.

Camilo Castelo Branco foi um famoso escritor que deu o nome à escola.

Mostraram-nos um libreto de ópera sobre o Amor de Perdição, de 1909, que só foi publicado em Paris, Bruxelas e Londres.

Observámos um diário muito antigo, do ano letivo de 1937/38, de uma funcionária da escola chamada Tereza  Paiva.

Vimos vários textos manuscritos, datados de 1879, de antigos alunos da escola.

Quando fomos ao arquivo 1, sentimos um cheiro a cânfora (cubinhos que servem para conservar os livros). Neste arquivo, observámos um album sobre Lourenço Marques (atual Maputo, capital de Moçambique) com fotografias de 1929.

Por fim, fomos ao arquivo 2 e vimos um antigo livro de ponto, dos anos 60.

Assim terminou a nossa fantástica visita!

Carlos Gonçalves, 7º A




No dia 24 de outubro, na aula de Português, a nossa turma, o 7º A, visitou a Biblioteca Escolar. 

Começámos por ouvir algumas explicações sobre a história do liveu e observámos alguns livros e manuscritos muito antigos. A professora Adelaide Jordão também nos falou sobre o dia e o mês das bibliotecas escolares, o desbaste (retirada de livros do Fundo Geral), a organização e a proteção dos livros. A professora também nos falou da revista da escola, o Boletim Cultural, onde são publicados textos / artigos assinados por atuais e antigos alunos e professores.

Em seguida, visitámos o site e o blogue da biblioteca, para onde podemos enviar textos e opiniões.

No final, fizemos uma visita aos dois arquivos da biblioteca. No primeiro, vimos livros sobre as ex-colónias e algumas peças de artesanato africano. No segundo, observámos livros antigos, de diferentes disciplinas, e livros de ponto, também muito antigos (desde 1910).

Gostei muito desta visita porque esclareci algumas dúvidas sobre a história da escola e sobre a organização e proteção dos livros.

Marisa Carvalho, 7º A 




Outubro é o Mês Internacional das Bibliotecas Escolares. Para comemorar, o professor Joaquim Almeida levou-nos à Biblioteca da escola para fazermos uma visita guiada.

Logo que chegámos, sentámo-nos e a simpática professora Adelaide Jordão esteve a explicar-nos que a nossa biblioteca tem cerca de 10 mil livros, que o mais antigo, sobre os bispos do Porto, é de 1712, e que o segundo mais antigo é de 1719, o Dom Quixote de La Mancha, escrito em castelhano, por Miguel de Cervantes.

A senhora professora convidou o meu colega, Diogo Pardal, a ler uma página do diário de Tereza Paiva (com z), uma antiga "Visitadora" do liceu, datada de 1937.

De seguida, entrámos no arquivo colonial, que é o arquivo onde se guardam documentos antigos que dizem respeito às ex-colónias, desde documentos escritos (livros, revistas), a  máscaras, lanças e figuras de madeira.

Visitámos também um pequeno arquivo onde se guardam os livros de ponto antigos.

Pessoalmente, gostei muito da visita e espero que a biblioteca consiga enriquecer o seu fundo documental cada vez mais.

Visiem a biblioteca!

Laura Perdigão Dias Martins, 7º B
 
 




No dia 23 de outubro de 2014, o 7º B realizou uma visita à Biblioteca escolar, no âmbito do Mês Internacional das Bibliotecas Escolares. O Dia Internacional das Bibliotecas Escolares celebra-se a 27 de outubro.

Na minha opinião, esta visita enriqueceu muito a meu conhecimento sobre diversos assuntos. Fiquei a saber um pouco sobre a história da escola, que foi fundada em 1848. A sua localização nem sempre foi a mesma, só no início do século XX se fixou na Avenida Carvalho Araújo, a sua localização atual, junto ao edifício da Câmara Municipal. Em 1914, passou a chamar-se Liceu Nacional de Camilo Castelo Branco (antes chamava-se Liceu Nacional). Existem outras escolas pelo país em homenagem ao grande escritor, provavelmente porque passou por todas essas terras onde ficam situadas.

Acho que a Escola tem uma Biblioteca muito interessante. Aprendemos o que é um fundo documental. Existe um armário muito importante, o "Armário de Camilo", onde se encontram quase todas as obras do mesmo (algumas primeiras edições). O livro mais antigo da biblioteca é uma obra sobre os bispos do Porto, de 1712, seguido do famoso romance Dom Quixote de La Mancha, escrito em castelhano, de 1719. 

Ouvi também falar de um famoso artista chamado Maurício Penha - depois de algumas investigações concluiu-se que tinha sido aluno do Liceu na década de 30 do século passado.

Fiquei a conhecer as secções da Biblioteca e como funcionam. É constituída pela zona polivalente, zona de estudo, arquivos e zona de exposições. O primeiro arquivo tem livros e objetos do período colonial e o segundo guarda livros de ponto antigos e outros objetos escolares.

Um aspeto muito importante é o prazo de requisição, que é de 8 dias.

Deram-nos a conhecer a D. Tereza Paiva, uma senhora que era "Visitadora do Liceu". Fazia um pouco de tudo: era assistente social, enfermeira, visitava os alunos quando estavam doentes, entre muitas outras coisas. Ela tinha um diário, do ano de 1937, que agora está na Biblioteca, do qual nos leram algumas passagens. 

Por fim, usámos os computadores para aceder ao site e ao blogue da Biblioteca e fiquei a saber que qualquer documento que entra numa biblioteca é classificado numa escala de 0 a 9.

Achei esta visita muito enriquecedora e gostei da forma como a senhora professora Adelaide Jordão e o Sr. Roberto nos receberam.

Guilherme Pereira, 7º B



quarta-feira, 22 de outubro de 2014

A ESCCBVR passou a integrar a rede de escolas aLer+




  "Ler+ na Camilo":
 
 
A ESCCBVR é uma escola aLeR+
 
 


Foto de Micael Bacelar Pereira




 
 

 


 Ao ver aprovado o seu projeto de candidatura à rede de escolas aLeR+, para o biénio 2014-2016, subordinado ao tema LeR+na Camilo, a ESCCBVR passou a ser uma escola aLeR+

 

O projeto aLeR+ é uma iniciativa do Plano Nacional de Leitura/PNL desenvolvida em parceria com a Rede de Bibliotecas Escolares/RBE, destinada a apoiar as escolas que se disponham a desenvolver um ambiente integral de leitura, motivando a integração da leitura como transversal a todas as áreas curriculares, a colocar a leitura e o prazer de ler no centro do Projeto Educativo de Escola e a trabalhar com as famílias, para encorajarem a leitura em tempo livre. Assim, a sustentabilidade deste projeto assenta também na responsabilidade e participação das direções das escolas, das equipas da Rede de Bibliotecas Escolares, dos docentes e não docentes, dos alunos, das famílias e das bibliotecas públicas.

Linhas orientadoras do projeto aLeR+:


 - Colocar o prazer de ler no centro dos esforços da escola para elevar os níveis de aprendizagem e o sucesso dos aluno.
 - Envolver na promoção da leitura todos os elementos da comunidade escolar: professores, funcionários e também pais, bibliotecários, animadores, autarcas, etc.,..
 - Trabalhar em parceria com as famílias para estimular a leitura em casa.
 - Estabelecer relações com a comunidade local e com outras escolas, articulando esforços na promoção do prazer de ler.
 

- Assegurar o máximo de visibilidade à leitura em contexto escolar.
 - Partilhar boas práticas com as escolas e bibliotecas do projeto aLeR+.


 Lançado em 2008, em 33 escolas/agrupamentos, e contando atualmente com cerca
100 escolas/agrupamentos, o seu alargamento tem sido gradual, de forma a garantir um crescimento sustentado da rede aLeR+. Os resultados positivos evidenciados no balanço do trabalho realizado pelas escolas nos últimos cinco anos e a forma decisiva como a leitura está associada à melhoria do sucesso escolar contribuíram para o relançamento de uma 2ª fase, com início em 2014-2015. 
 
 


Foto de Inês de Caldas Martins


Foto de Júlio Miguel Dinis

Foto de Luís Rafael Fernandes Ferreira

 
 
Foto de Adelaide Jordão
 
 
 
 
 
Ver lista dos projetos selecionados para 2014-16 aqui.
 
Programa do V Encontro de escolas a ler+. (7 de novembro de 2014)

Blimunda 29




Blimunda # 29:
levar a literatura até às pessoas





outubro 2014





Levar a literatura até as pessoas, seja através do Teatro, das Feiras do Livro, Festivais Literários ou de Bibliotecas Itinerantes. Boa parte da Blimunda de outubro é dedicada a este assunto – que também é abordado por Pilar del Río no editorial. Ricardo Viel esteve na encantadora Segóvia, no Hay Festival, e voltou com histórias do encontro entre grandes nomes da literatura, do jornalismo e do mundo dos livros com um animado e cúmplice público. Sara Figueiredo Costa conta como foi “fugir com o circo” por quatro meses e acompanhar a digressão do Trigo Limpo/Teatro Acert pelas terras de Viseu Dão Lafões com o espetáculo “A Viagem do Elefante”, adaptação teatral do livro homónimo de José Saramago. Andreia Brites revela os bastidores das fichas de leitura que a Fundação Calouste Gulbenkian manteve secreta durante décadas. Um contributo para o trabalho das bibliotecas itinerantes (as famosas carrinhas da Gulbenkian) que cruzavam Portugal no século passado levando livros aonde eles não existiam.

Os convidados desta edição da revista são Dulce Maria Zúñiga, diretora da Cátedra Latino-Americana Julio Cortázar que nos explica por que vale a pena ler o autor de Rayuela; e o ensaísta Eduardo Lourenço que recupera um texto escrito em 2003 e até agora inédito sobre a América Latina.

Na secção Saramaguiana publica-se um excerto do prólogo de A espiritualidade clandestina de José Saramago, livro de Manuel Frias Martins a ser publicado em breve pela Fundação José Saramago.

Esta é a Blimunda#29, revista digital que a Fundação José Saramago (http://www.josesaramago.org/) disponibiliza gratuitamente. 





Boas leituras!

segunda-feira, 20 de outubro de 2014

Concurso Nacional de Leitura 9ª ed.





 

CNL 2014/2015



 
 
Com o objetivo central de estimular o treino da leitura e desenvolver competências de expressão escrita e oral, o Plano Nacional de Leitura abre a 9ª Edição do Concurso Nacional de Leitura (CNL) 2014 / 2015 a 20 de Outubro de 2014, que, como habitualmente, se desenrola em três fases - a nível de escola, a nível distrital e a nível nacional.

São parceiros desta iniciativa a Direção-Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas (DGLAB), a Rede das Bibliotecas Escolares (RBE) e o Camões - Instituto da Cooperação e da Língua (Camões, IP).

A participação no concurso está aberta aos alunos dos 3º Ciclo e Ensino Secundário das escolas públicas e privadas do Continente e dos Arquipélagos dos Açores e da Madeira, qualquer que seja a sua nacionalidade.
 
Na versão Internacional e com coordenação do Camões, IP), também está aberto às escolas no estrangeiro sob sua tutela, com a designação CIL, Concurso Internacional de Leitura.
 
 
 Ver Regulamento nacional.
 
 
Nos próximos dias, a Biblioteca da Camilo procederá à divulgação do regulamento do concurso a nível de escola, que incluirá as obras selecionadas para a prova da 1ª fase de seleção. 
 
 
 
CALENDÁRIO DO CONCURSO
 

FASES DO CNL
 
TAREFASCALENDÁRIO
AberturaInformação às escolas
 
20 Outubro 2014
InscriçãoPreencher: 
CNL- Formulário de inscrição 2014-2015
Até 07 Novembro 2014
Publicação da lista de Escolas inscritas14 – 18 Novembro 2014
1ª FaseEscolasProvas nas escolas
 
Até 22 Janeiro 2015
Apurar vencedores
 
Preencher: 
CNL - Registo de alunos apurados e Obras selecionadas
Publicação da lista de alunos apurados01 – 05 Fevereiro 2015
2ª FaseDistritalProvas distritais
Bibliotecas Municipais - DGLAB
 
Apurar vencedoresAté 30 Abril 2015
Publicação da lista de alunos apurados
Até 08 Maio 2015
3ª FaseNacionalSemifinal
Final Nacional
Junho | Julho 2015

Livros & Leituras | Os livros da vida de Almeida Faria



Ler+ na Camilo :

O(s) livro(s) da vida de Almeida Faria

 

 


Ulisses, de James Joyce



Autor: James Joyce 

Título: Ulisses

Editor: Relógio D´Água

Data de edição / impressão: 2013

Nº de Páginas: 800

ISBN: 9789896413798

 

Sinopse


Ulisses é um romance de referências homéricas, que recria um dia de Dublin, a quinta-feira de 16 de Junho de 1904. Nesse único dia e na madrugada que se lhe seguiu, cruzam-se as vidas de pessoas, conversam, tecem intrigas amorosas, viajam, sonham, bebem e filosofam, sendo a maior parte das situações construídas em torno de três personagens. «Mais do que a obra de um só homem, Ulisses parece de muitas gerações […]. A delicada música da sua prosa é incomparável.»
J. L. Borges, James Joyce, 1937



 O som e a fúria, de William Faulkner





Autor: William Faulkner
Título: O som e a fúria
Editor: Dom Quixote
Data de edição / publicação: 2012
Nº de páginas: 288
ISBN: 9789722048828

 

Sinopse
O Som e a Fúria é a tragédia da família Compson, apresentando algumas das personagens mais memoráveis da literatura: a bela e rebelde Caddy, Benjy, o filho varão, o assombrado e neurótico Quentin; Jason, o cínico brutal, e Dilsey, o criado negro. Com as suas vidas fragmentadas e atormentadas pela história e pela herança, as suas vozes e ações enredam-se para criar o que é, sem dúvida, a obra-prima de Faulkner e um dos maiores romances do século XX.

William Faulkner afirmou muitas vezes que O Som e a Fúria era o romance mais próximo do seu coração porque era o que lhe tinha causado mais sofrimento e angústia a escrever. Neste magnífico romance, publicado pela primeira vez em 1929, Faulkner criou a «menina dos seus olhos», a bela e trágica Caddy Compson, cuja história nos conta através dos monólogos separados dos seus três irmãos: Benjy, o idiota; Quentin, o suicida neurótico; e o monstruoso Jason. O Som e a Fúria é o seu quarto romance e a primeira das suas obras- primas indiscutíveis, aquela que, mais do que qualquer outra, confirmou Faulkner como figura central da literatura do século XX.



As peças de Shakespeare


http://apps.microsoft.com/windows/pt-br/app/as-obras-de-shakespeare/8d6163f9-118e-4a7d-ba49-2c561aceab2dAdicionar legenda


 

sábado, 18 de outubro de 2014

MIBE 2014 | Formação de utilizadores

 
 




Visita do 7.º D à Biblioteca da Escola



 
 



Impressões


No dia nove de outubro, quinta-feira, eu e a minha turma, acompanhados pela professora de Português, visitámos a biblioteca da nossa escola.

 Quando lá chegámos, a professora bibliotecária começou por se apresentar e explicou-nos que naquele espaço poderíamos requisitar livros e material audiovisual. Poderíamos consultar enciclopédias e dicionários. Ver as novidades, revistas, livros,…

 Também nos deu a conhecer cartas e textos antigos.

 Depois dividimo-nos em dois grupos, um grupo foi aos arquivos e o outro foi até aos computadores visitar o site e o blogue da biblioteca; de seguida, os grupos trocaram de locais.

 Nos arquivos vimos Livros de Ponto do século XIX e manuais daquela época. Nos computadores consultámos o site da biblioteca onde vimos algumas das atividades que aí acontecem, tais como: concursos, contos, destaques, …

 No final, registámos a nossa opinião num placard que se encontrava na biblioteca para o efeito.

 Achei muito interessante a consulta de cartas e textos antigos e gostei da visita.


 

Ana Margarida Raposo Coutinho , 7º D, Nº2                                    



  



No dia nove de outubro, eu e a minha turma fizemos uma visita à biblioteca da nossa escola, no âmbito das comemorações de Outubro Mês Internacional das Bibliotecas Escolares.

Quando chegámos, fomos recebidos pela Dra. Adelaide, que nos explicou o funcionamento da Biblioteca e nos falou sobre escritores conhecidos, mostrando-nos livros das estantes autografados por eles. Vimos também trabalhos dos mais antigos alunos do liceu, do século XIX, realizados na aula de caligrafia, disciplina que atualmente não existe.

Seguidamente, a turma foi dividida e os primeiros dez alunos dirigiram-se às estantes da classe 8 onde procuraram obras que poderão ser consultadas ao longo do ano letivo. Foram também para os computadores visitar a página da biblioteca, pesquisando sobre “O cantinho do leitor”, e o Blogue. Os restantes alunos dirigiram-se à zona dos arquivos onde observaram livros e documentos antigos, sob a supervisão do Sr. Roberto, Auxiliar de biblioteca. Depois, os grupos trocaram de posições e, por fim, fizemos uma pequena apreciação da visita.


Adorei!




Ana Beatriz Pires, 7º D