segunda-feira, 30 de abril de 2018

Dia Internacional do Jazz 2018


30 de abril



Cartaz de Phnom Penh, Camboja


Cartaz de Nicósia, Chipre


Cartaz de Siracusa, Itália


Krasnodar, Rússia


Cairo, Egito




Mais cartazes de todo o mundo sobre a efeméride podem ser encontrados AQUI.






A UNESCO orgulha-se de celebrar o 7º Dia Internacional do Jazz em 30 de abril de 2018. Este é um dia para homenagear o jazz e o seu legado duradouro, bem como para reconhecer o poder dessa música para unir as pessoas.

O jazz tem as suas raízes na luta pela liberdade e resistência contra a opressão. Esta música, com os seus vários estilos, foi abraçada e integrada em inúmeras culturas, transformando-se em novas formas de expressão, ressoando infinitamente a diversidade da música e do som em todo o mundo. A miríade de maneiras pelas quais o jazz foi inserido no tecido das culturas locais, nacionais e indígenas atesta a sua importância. Falou e continua a falar a pessoas de todas as origens linguísticas, políticas e económicas, na medida em que segue a sua trajectória original de expressão da liberdade, dignidade e direitos humanos.

A mensagem para a liberdade está enraizada no núcleo dessa música, que é definida pela improvisação. A capacidade de os músicos se unirem e ouvirem, tocarem e trocarem arte através dessa expressão fluente reflete o espírito dos movimentos de liberdade em todo o mundo. Como o grande artista de jazz Wayne Shorter frequentemente diz: "Acontece no jazz o que acontece na vida: não se pode ensaiar o desconhecido". O jazz enfatiza a beleza de viver o momento, ter a coragem de correr riscos, não apenas consigo mesmo, mas também com os outros, para explorar as águas indefinidas, muitas vezes obscuras, do que é possível ou mesmo inimaginável pelo indivíduo e pelo coletivo.

Hoje, o Dia Internacional do Jazz é celebrado em mais de 190 países. Músicos, organizadores de eventos, professores, estudantes e fãs de jazz são mobilizados em todo o mundo com eventos que vão desde pequenos shows a apresentações de vários dias. As atividades serão provenientes de escolas, museus, centros comunitários, universidades, cafés e clubes de jazz.

Este ano, a cidade de São Petersburgo é a Cidade Anfitriã Global. Esta cidade deu origem ao jazz russo no início dos anos 20, com a academia e o establishment a abraçar totalmente a música desde o início, levando ao estabelecimento do primeiro Philharmonic Hall do país.

Em São Petersburgo, haverá oficinas, master classes, exibições de filmes, performances e shows com estudantes russos de todo o país. O All-Star Global Concert reunirá artistas de todo o país, da região e do mundo, criando uma mistura única de música que certamente servirá para um evento memorável com lendas como o Embaixador da Boa Vontade da UNESCO, Herbie Hancock, e o artista de jazz russo Igor Butman.

A UNESCO tem o prazer de colaborar com o Instituto de Jazz Thelonious Monk, a cidade de São Petersburgo, e a Fundação Igor Butman para a celebração deste ano do Dia Internacional do Jazz.

É minha esperança que se possa juntar a nós, e que juntos possamos celebrar este importante dia, que pode aproximar-nos mais uma nota.

Audrey Azoulay, Diretora-Geral da UNESCO
Mensagem no Dia Internacional do Jazz de 2018





Veja o All-Star Global Concert, de São Petersburgo, Rússia




2018 GLOBAL ALL-STARS


Feira do livro



2 e 3 de maio de 2018


Na próxima quarta e quinta-feira, realiza-se no átrio da escola a 2ª edição da Feira do livro do ano letivo 2017/2018.

Desta vez estarão disponíveis apenas títulos recomendados pelo Plano Nacional de Leitura (livros para leitura orientada, leitura autónoma e para  os projetos literários).





domingo, 29 de abril de 2018

Concurso Nacional de Leitura - Fase regional


26 de abril | Biblioteca Municipal de Vila Real



No passado dia 26 de abril, decorreu na Bilioteca Municipal de Vila Real a segunda prova de seleção do Concurso Nacional de Leitura, para apuramento de um aluno de cada ciclo de estudos (1º, 2º e 3º Ciclo e Ensino Secundário).

Como representantes da Camilo, estiveram a Catarina Coutinhas Alves Afonso, do 9º C, a representar o 3º Ciclo, acampanhada pela Alice Margarida Roçadas Araújo Sá Meneses, também do 9º C (concorrente suplente), e a Maria Índia Azevedo Marques, do 11º G, a representar o Ensino Secundário.


Os alunos vencedores irão agora estar presentes na prova Intermunicipal que decorrerá em Sernancelhe, no dia 18 de maio.

Todos os parcicipantes estão de parabéns!


Felicidades para os concorrentes que continuam em prova!



Partilhamos algumas imagens do evento:


Concurso Nacional de Leitura


A prova final nacional irá realizar-se no dia 5 de junho (pré-seleção, online, nas bibliotecas escolares) e no dia 10 de junho, em local a definir.



Concurso Nacional de Leitura


Dia 26 de abril | 2ª prova de seleção

Biblioteca Municipal de Vila Real








Ilusão de ótica



Imagens que enganam os nossos olhos: nem tudo é o que parece.





Quando movemos a cabeça, o círculo azul deste QR code parece mover-se. O autor desta ilusão de ótica é o psicólogo japonês Akiyoshi Kitaoka, especialista em imagens que enganam os nossos olhos.

Nas ilusões ópticas semelhantes a esta, o interior de uma imagem estática parece mover-se. A sensação de movimento pode ser induzida de várias formas. Por exemplo, fazendo contrastar elementos com formas diferentes ou que parecem mover-se em direções opostas.

Apresentamos mais duas ilusões de ótica do mesmo autor:







sábado, 28 de abril de 2018

Poemas durienses, de António Cabral


Palestra, por António Fortuna e Henrique Morgado

Dia 23 de abril, Dia mundial do livro


O evento constituiu uma homenagem a António Cabral, escritor transmontano, antigo docente da Camilo.

Contou com a presença da viúva do escritor, a Dra. Alzira Vilela Cabral, e a participação dos alunos do 12º E e G e do 11º J, que partilharam com os presentes a leitura de extratos dos Poemas durienses

A palestra contou ainda com a presença de António Alberto Alves, da livraria Traga-Mundos, que preparou para a ocasião uma pequena mostra de livros sobre António Cabral.




Palestra: Poemas durienses, de António Cabral by Slidely Photo Gallery







"Poemas Durienses" é geralmente reconhecido como o livro mais representativo do poeta e escritor António Cabral. Neste livro, como nos diz o poeta A. M. Pires Cabral, os poemas “estabeleceram uma fronteira clara entre quem «cantava» o Douro paisagístico, natural, telúrico, olímpico e quem, como António Cabral, ergueu um altar ao homem, o grande obreiro do Douro”. Com este livro, como o consideram importantes críticos e estudiosos, António Cabral inscreveu para sempre o seu nome na História da Poesia Portuguesa. O livro é ainda enriquecido com os linóleos de Nuno Barreto.(FNAC)


LEONOR

A Leonor continua descalça,
o que sempre lhe deu certa graça.

Pelo menos não cheira a chulé
e tem nuvem de pó sobre o pé.

Digam lá se as madames do Alvor
são tão lindas como esta Leonor.

Um filhito ranhoso na mão,
uma ideia já podre no pão.

Meia dúzia de sonhos partidos,
a seus pés, como cacos de vidros.

Diga lá se as madames do Alvor
são tão lindas como esta Leonor.

António Cabral


"Mas o passo decisivo para a compreensão integral do Douro veio-me com a leitura da poesia duriense. António Cabral acima de tudo, que por essa altura publicava os seus Poemas Durienses. A odisseia humana do Douro só então se me representou em toda a sua desconformidade. E então o Douro passou a ser uma entidade dupla para mim: o rio e a região. Distintos, porém inextricáveis. Qualquer deles uma coisa de meter respeito. Foi pois em António Cabral, que vi tão de chofre como numa revelação, que o Douro região não apareceu ali como bandeja por um deus bonacheirão (qual Baco nem meio Baco), mas foi levantado à custa de muito sangue, suor e lágrimas, que perdoe o velho Winston." - CABRAL, A. M. Pires – Memórias – o meu Douro. Revista da bienal da prata. Lamego, N.º 2 (outono 2001), pag. 11

WIPO Magazine



abril de 2018


 https://drive.google.com/file/d/1Az7wKPznTHouiIK5Wg_q1DSO1CDDZOTd/view



Todos os dias, as mulheres desenvolvem invenções e criações  que transformam vidas e promovem o entendimento humano, da astrofísica à nanotecnologia, da medicina à inteligência artificial e à robótica. E na esfera criativa, seja nos filmes, animação, música, moda, design, escultura, dança, literatura, arte e muito mais, as mulheres estão a reinventar a cultura, testando os limites da arte e da expressão criativa, atraindo-nos para novos mundos de experiência e compreensão. 

As contribuições importantes e inspiradoras de inúmeras mulheres em todo o mundo estão a impulsionar a mudança no nosso mundo. A sua atitude de “posso fazer” é uma inspiração para todos nós. E as suas realizações notáveis ​​são um legado de valor incalculável para as jovens de hoje, com aspirações a se tornarem-se inventoras e criadoras do futuro. 

Esta edição especial da Revista WIPO explora por que é importante incentivar as mulheres na inovação e criatividade e apresenta as opiniões e experiências de apenas algumas das muitas mulheres notáveis ​​que estão a alimentar a mudança no mundo todos os dias.




Leituras que marcam



Exposição de marcadores

Está patente no átrio da escola, desde o dia 23 de abril, Dia mundial do livro, uma exposição de marcadores de livros, elaborados pelos alunos do 7º C e D e do 12º E.