quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

Quem te ama, não te agride!




CIDADANIA 

 



Filme promocional da campanha nacional contra a violência no namoro, da
Secretaria de Estado dos Assuntos Parlamentares e da Igualdade / CIG
 
 
 
 
Não esqueças, QUEM TE AMA, NÃO TE AGRIDE


Tu podes:



- PREVENIR a vitimização de jovens e a violência com base nas desigualdades de género; 

- COMBATER a violência no namoro que afeta os elementos mais permeáveis da nossa sociedade; 

- SENSIBILIZAR jovens para as questões da igualdade de género; 

- ELIMINAR estereótipos de género promovendo uma cultura de não-violência e cidadania participativa.



Ação de voluntariado Jovem Namorar com Fair Play, da Secretaria de Estado do Desporto e Juventude / IPDJ. 

A informação está disponível no portal da juventude.


Blimunda 33




Blimunda # 33:
homenagem a  Levantado do Chão

Fevereiro de 2015



“Do chão levantam-se as searas e as árvores, levantam-se os homens e as suas esperanças”, escreveu José Saramago. “Também do chão pode levantar-se um livro”, acrescentou. Nos 35 anos da publicação de “Levantado do Chão”, a “Blimunda” de Fevereiro rende homenagem a este título fundamental da obra de José Saramago, porque do chão pode levantar-se também uma revista.

Com sotaque brasileiro, entrevista-se Luiz Schwarcz, fundador da Companhia das Letras (editora que agora desembarca em Portugal), e conversa-se com o jornalista Fernando de Barros e Silva, que acompanhou Chico Buarque em Berlim em busca do irmão alemão.
E há muito mais: os zombies de Marco Mendes, depois de invadirem o universo da banda desenhada, ganham espaço na “Blimunda”.

 Passados cinco anos do terramoto que arrasou o Haiti é recuperado um texto escrito por José Saramago naquela altura: “Quantos Haitis?”

 Para encerrar o Ano Cortázar, publica-se um texto inédito do editor catalão Carles Álvarez Garriga sobre Aurora Bernárdez, a companheira e herdeira da obra de Julio Cortázar, falecida em novembro passado.

 A secção infanto-juvenil é ocupada por um relato do 1º Encontro de Literatura Infanto-Juvenil da Lusofonia realizado neste mês na Fundação O Século.

 Na Saramaguiana, a fechar a edição deste mês, publica-se a intervenção de Sandra Lorenzano, escritora argentina radicada no México, lida na apresentação de “Alabardas, alabardas, Espingardas, espingardas” realizada em dezembro passado na Cidade do México.




segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

Livros & Leituras: obras de José Luís Peixoto




Ler+ na Camilo:


 







O livro, que o escritor considera o melhor livro da sua vida, é da sua autoria e está disponível na nossa biblioteca escolar.





Autor: José Luís Peixoto
Título: Morreste-me
Editor: Quetzal Editores
Data de edição / impressão:
ISBN: 9789725648025


Morreste-me, texto que deu a conhecer o jovem escritor José Luís Peixoto, é uma obra intensa, avassaladora e comovente: é o relato da morte do pai, o relato do luto, e ao mesmo tempo uma homenagem, uma memória redentora. Um livro de culto há muito tempo indisponível no mercado português.   
 




Outros títulos do autor disponíveis na biblioteca:







Autor: José Luís Peixoto

Título: Uma casa na escuridão
Editor: Quetzal Editores
Data de edição / impressão:2003
Nº de Páginas: 256
ISBN: 9789725648223



«Então, fechei os olhos com força e fixei-me no que via. Esta era uma das coisas que fazia desde pequeno, que tinha descoberto por acaso e que imaginava ser eu a única pessoa a fazer no mundo. Fechava os olhos e via. Via o que se vê com os olhos fechados [...] Isto é o que se vê quando fechados os olhos e continuamos a ver: a cor negra e os pequenos seres de luz que a habitam. E não se consegue olhar fixamente nem para o negro nem para a luz. Os pontos ou as linhas ou as figuras de luz fogem da atenção. O negro é tão absoluto, tão profundo, tão infinito que o olhar avança por ele sem encontrar um lugar onde possa deter-se. Mas, naquela noite, comecei a distinguir algo dentro desse negro            
        





Autor: José Luís Peixoto
Título: Abraço
Editor: Quetzal Editores
Data de edição / impressão: 2011
Nº de Páginas: 680
ISBN: 9789725649367


SINOPSE

 Abraço apresenta uma seleção de textos escritos por José Luís Peixoto ao longo dos últimos 10 anos. A infância, o Alentejo, o amor, a escrita, a leitura, as viagens, as tatuagens, a vida. Através de uma imensa diversidade de temas e registos, José Luís Peixoto escreve sobre si próprio com invulgar desassombro. Esse intimismo, rente à pele, nunca se esquece do leitor, abraçando-o, levando-o por um caminho que passa pela ternura mais pungente, pelo sorriso franco e por aquela sabedoria que se alcança com o tempo e a reflexão. Este é um livro de milagre e de lucidez. Para muitos, a confirmação. Para outros, o acesso ao mundo de um dos autores portugueses mais marcantes das últimas décadas.







Autor: José Luís Peixoto
Título: livro
Editor: Quetzal Editores
Data de edição / impressão: 2010
Nº de Páginas: 264
ISBN: 9789725648995



Sinopse

Um rapazinho é deixado pela mãe num fontanário, de madrugada. Antes de partir, ela entrega-lhe um livro e promete que voltará dentro de algumas horas. Mas abandona-o e vai para França, trilhando os caminhos da emigração. Acolhido por uma família da aldeia, e sem nunca mais saber da mãe, o rapaz vai crescer enamorado por uma rapariga da terra que o corresponde nos sentimentos. Chegados à idade adulta, decidem ambos emigrar para França, mas partem separados. O livro — único objecto de valor que o rapaz possuiu em toda a sua vida — servirá para os manter ligados e é através dele que se vão reencontrar.
«O dom de Peixoto para a escrita é algo raro, de beleza rítmica.» The Guardian
«A prosa encantatória e audaz de Peixoto é consistentemente bela, inacreditavelmente rica e ressonante.» The Independent
«A escrita de Peixoto é, ao mesmo tempo, fresca, ágil e envolvente, contendo toda uma herança literária universal. Estamos perante um escritor maduro. Um admirável escritor português.» Luís Sepúlveda              

sábado, 21 de fevereiro de 2015

Dia internacional da língua materna´15

21 de fevereiro


CIDADANIA


Aquele que perde a sua língua perde o seu mundo.
                                                                                                      Provérbio gaélico escocês




Cartaz 2015



Inclusive Education through and with Language - Language Matters

 "The focus for the post - 2015 agenda must fall on the priority of advancing quality education for all - widening access, ensuring equality and inclusiveness, and promoting education for global citizenship and sustainable development. Education in the m other language is an essential part of achieving these goals - to facilitate learning and to bolster skills in reading, writing and mathematics. "
Irina Bokova, Diretora Geral da UNESCO 


Ver infográfico em http://www.unesco.org/new/fileadmin/MULTIMEDIA/HQ/ED/pdf/imld2015-infographic-en_01.pdf




If I forget my native speech,
And the songs that my people sing
What use are my eyes and ears?
What use is my mouth?
If I forget the smell of the earth
And do not serve it well
What use are my hands?
Why am I living in the world?
How can I believe the foolish idea
That my language is weak and poor
If my mother’s last words
Were in Evenki?


Alitet Nemtushkin, poeta Evenki





quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

Livros & Leituras | A metamorfose, de Franz Kafka





Ler+ na Camilo:



A Metamorfose, de Franz Kafka, o livro da vida de José Wallenstein.












Autor: Franz Kafka
Título: A Metamorfose
Editor: Leya
Data de Impressão / publicação: 2013
Nº de Páginas: 96
ISBN: 9789896603069


Sinopse

«Certa manhã, ao acordar após sonhos agitados, Gregor Samsa viu-se na sua cama, metamorfoseado num monstruoso inseto.»
É assim que começa A Metamorfose, uma das mais emblemáticas obras de Franz Kafka. Nesta narrativa, o autor recorre à terrível metamorfose física e ao desespero da personagem para abordar os temas transversais a toda a sua obra: o comportamento humano, a impotência perante o absurdo e a frustração provocada por uma sociedade opressora e burocrática. 
Este título está disponível na Biblioteca CCB.                   

terça-feira, 17 de fevereiro de 2015

Ler contigo | 3ª edição







No dia 13 de fevereiro, realizou-se a 3ª edição do projeto de leitura "Ler contigo".  

Desta vez, a Catarina Fernandes, a Joana Silva, a Juliana Amaral,  a Maria Feliciano, a Rita Pereira e a Vanessa Mendes, alunas do 10º E, foram às salas de aula e à sala de estudo partilhar a leitura de poemas de amor com os alunos mais novos do 3º Ciclo. 










CNL 2015 | Fase distrital


 
 
Fase distrital do
Concurso  Nacional de Leitura



 





Saber + sobre as obras e os autores escolhidos








Título: Uma Menina Está Perdida no Seu Século à Procura do Pai
Editor: Porto Editora
Edição/reimpressão: 2014dezembro de
Páginas: 200
ISBN: 978-972-0-04698-7
 
 
 
Sinopse
 
Hanna e Marius, Berlim, Século XX.

Marius encontra uma menina perdida à procura do pai. Hanna, rapariga, cabelos castanhos, olhos pretos, catorze anos. Hanna fala com dificuldades, entende mal o que lhe acontece, não percebe o raciocínio dos outros. Está perdida.

Marius está com pressa mas muda o seu percurso, acompanha-a.

A sua busca leva-os até Berlim, a um hotel com corredores que lembram fantasmas da guerra — e os dois circulam entre as obsessões e os escombros do seu século.

"- E vocês? De onde vêm?
Tentei explicar-lhe que não era um homem falador. Gosto de ouvir, disse-lhe, não tenho muito para dizer.
Ele perguntou, virado para Hanna:
- Como te chamas?
Hanna respondeu. Ele não percebeu. Hanna repetiu, ele continuou sem perceber. Eu repeti:
- Chama-se Hanna.
- Hanna - disse Fried. - Bom.
- Que idade tens?
- Catorze - respondeu, e agora percebeu-se.
Fried sorriu para ela, simpaticamente. Ela disse:
- Olhos: pretos. Cabelo: castanho.
Eu disse: - Ela aprendeu assim.
Depois ela disse:
- Estou à procura do meu pai.
Fried sorriu, não disse nada."
 
 
 Críticas de imprensa
 
Uma Menina Está Perdida... é, por isso, um daqueles romances que se podiam quase dividir em contos. Não é o desfecho da história que interessa, mas sim as histórias mais pequenas contidas no livro. Mas é este artifício, este fio narrativo que liga todos os episódios, que o torna uma obra maior.

Gonçalo Mira, Ípsilon (Público)


«Mesmo quando parecem fechados na sua concepção quase programática, os romances de Gonçalo Tavares são diálogos com as palavras e as imagens de um século depois do qual não se pode escrever como se nada tivesse acontecido.»

Pedro Mexia, Expresso


«Ao longo da sua curiosa viagem, Marius e Hanna (ou Hannah…) encontrarão vários insólitos personagens, como um fotógrafo que coleciona fotos de animais e pessoas com deficiências, uma família que cola cartazes em todo o mundo com o intuito de despertar as mentes de todos, dois proprietários de um hotel que deram nomes de campos de concentração aos quartos, um antiquário que adora inventar histórias, os sete "Séculos XX", etc. A pluralidade de personagens criada por Gonçalo M. Tavares é realmente deslumbrante, impossível não nos agarrarmos a eles, cada um com a sua história particular, muitas marcadas pela Grande Guerra.»

Diário Digital
 
 
 
 Entrevista com o escritor

Gonçalo M. Tavares foi entrevistado para o programa In & Out, da RTP informação, a propósito do seu mais recente romance, Uma Menina Está Perdida no Seu Século à Procura do Pai (Porto Editora).
 




O grupo de teatro Crinabel vai adaptar o livro de Gonçalo M. Tavares ao Teatro.






segunda-feira, 16 de fevereiro de 2015

CNL 9ª ed. | Fase distrital: textos & autores




  
 



Saber + sobre as obras e os autores escolhidos




Título: A Livraria
Editor: Clube do Autor
Edição/reimpressão: 2011
Páginas: 180
 ISBN: 978-972-0-04698-7
Sinopse
Inglaterra, 1959.

Florence Green vive na pequena vila costeira de Hardborough, longe de tudo, e que se caracteriza precisamente por aquilo que não tem. Florence decide então, contra tudo e todos, abrir a primeira e única livraria da terra.

Compra um edifício abandonado há anos, gasto pela humidade e com o seu próprio fantasma. Como se não bastasse o mau estado da casa, ela terá de enfrentar as pessoas da vila que, de um modo cortês, mas inabalável, lhe demonstram a sua insatisfação com a existência da primeira livraria local. Só a sua ajudante, uma menina de dez anos, não deseja sabotar o seu negócio.

Quando alguém sugere que coloque à venda a primeira edição de Lolita de Nabokov, a vila sofre um «terramoto» subtil, mas devastador. E finalmente, Florence começa a suspeitar da verdade: uma terra sem uma livraria é, muito possivelmente, uma terra que não merece qualquer livraria.

A Livraria é uma obra-prima acerca do mundo dos livros, dos sonhos e das vicissitudes da vida, sob a forma de uma história envolvente e original.


Críticas da imprensa

« A Livraria é um romance sábio, tocado aqui e ali por alguma melancolia de um tempo passado, e escrito de maneira tão consistente e vívida, que a mais pequena das cenas se enche de impressões como se fosse insuflada de cores. No final da leitura, o leitor anseia por mais romances desta grande romancista inglesa.» -José Riço Direitinho, Ípsilon, Público

De todos os romancistas da língua inglesa do século XX, Penelope Fitzgerald é indiscutivelmente a maior… Consistente e convincente.» - Spectactor

«Uma narrativa maravilhosa e penetrante.» - Times Literary Supplement


«Um livro original que se lê com muito prazer.» - Financial Times
«Simultaneamente sábio e triste. Um livro vivamente recomendado.» -Library Journal

CNL 2015 | Fase distrital








Saber+ sobre as obras e autores escolhidos








Autor: Andy Mulligan
Título: Trash - Os rapazes do lixo
Editor: Editorial Presença
Nº da edição: 2ª
Data de edição /impressão: 2014
Nº de Páginas: 200
ISBN: 978-972-23-5438-7


 
Sinopse
 
 
Raphael, Gardo e Ratazana vivem em Behala, uma lixeira de proporções inimagináveis num país do Terceiro Mundo. Todos os dias, a sua vida resume-se a passar a pente fino os detritos provenientes da cidade na esperança de encontrarem algo que possa ser vendido. Um dia, descobrem uma pequena mala de cabedal que contém dinheiro e alguns documentos pessoais. Mas a polícia também está interessada em ficar com a mala, e os três rapazes dão por si a ser perseguidos à medida que tentam desvendar um caso de corrupção que envolve as mais altas esferas da sociedade.

Publicado em mais de 15 países, Trash – Os Rapazes do Lixo é um livro sobre como a esperança e a determinação podem transcender até a pobreza mais indigna.
 
 
Críticas da imprensa
 
"O mais extraordinário acerca de Trash é que para qualquer jovem leitor este livro é uma espécie de precursor de Oliver Twist. É uma história emocionante sobre crianças que sabem levar a melhor aos adultos. As suas crueldades são próprias de um conto de fadas, e também o é a sua mensagem de esperança.» | The Times

«Trash é um livro brilhante. Incrivelmente bem escrito, faz-nos vibrar e enche-nos de entusiasmo.» | John Boyne, autor do livro O Rapaz do Pijama às Riscas

«Perturbador, entusiasmante e absolutamente brilhante.» | The Bookseller UK


«Uma história marcada por uma energia contagiante... A sua leitura é puro entretenimento e deve ser recomendada a toda a gente.» | The Bookseller

«Um livro absorvente, que está a conquistar os leitores quer como aventura quer como história de justiça social.» | Publishers Weekly US
           
 
Um livro, um filme
 
A adaptação cinematográfica de Trash chegou às salas de cinema portuguesas a 30 de outubro de 2014.
 
 
                                                             Lixo - Trailer Oficial  

domingo, 15 de fevereiro de 2015

CNL 2015 | Fase distrital




   




Saber + sobre as obras e os autores escolhidos







Título: Trash - Os rapazes do lix0
Autor: Andy Mulligan
Editor: Editorial Presença
Edição/reimpressão: 2014
Páginas: 200
ISBN: 978-972-23-5438-7



Num país do terceiro mundo, num futuro não muito distante, três rapazes tentam sobreviver nas montanhas de lixo nos subúrbios de uma metrópole. Num dia de sorte e azar, Raphael encontra algo muito especial e misterioso. Tão misterioso que decide guardar, mesmo que a polícia da cidade ofereça uma bela recompensa pela sua devolução. Essa decisão traz terríveis consequências, e em breve os rapazes do lixo vão ter de usar toda a sua astúcia e coragem para escapar aos seus perseguidores.



Trash - Os Rapazes do Lixo é um romance policial para leitores jovens, cuja leitura será igualmente interessante para os menos jovens. Publicado em mais de 15 países, este é um livro sobre como a esperança e a determinação podem transcender até a pobreza mais indigna.





 Críticas da imprensa

«O mais extraordinário acerca de Trash é que para qualquer jovem leitor este livro é uma espécie de precursor de Oliver Twist. É uma história emocionante sobre crianças que sabem levar a melhor aos adultos. As suas crueldades são próprias de um conto de fadas, e também o é a sua mensagem de esperança.» - The Times


«Trash é um livro brilhante. Incrivelmente bem escrito, faz-nos vibrar e enche-nos de entusiasmo.»  - John Boyne, autor do livro O Rapaz do Pijama às Riscas


 «Perturbador, entusiasmante e absolutamente brilhante.»  - The Bookseller UK


«Uma história marcada por uma energia contagiante... A sua leitura é puro entretenimento e deve ser recomendada a toda a gente.»  - The Bookseller


«Um livro absorvente, que está a conquistar os leitores quer como aventura quer como história de justiça social.» - Publishers Weekly US



 Ler um excerto. 



 A adaptação cinematográfica de Trash chegou às salas de cinema portuguesas em 30 de outubro de 2014.


sábado, 14 de fevereiro de 2015

CNL 9ª ed | Fase distrital: textos e autores

 
 
 
 
  
 


 

 

Saber + sobre as obras e os autores escolhidos






Título: O caderno do avô Heinrich
Editor: Editorial Presença
Edição/reimpressão: 2013
Páginas: 88
ISBN: 978-972-23-5130-0
 
 
Sinopse
Heinrich e Jósef conheceram-se na Polónia. Heinrich tinha chegado há pouco tempo da Alemanha, porque o pai não queria que o filho crescesse num país onde dominavam o ódio, o preconceito, o abuso do poder e todas as formas de fanatismo.

Naquele tempo, o homem que tinha subido ao poder resolveu dominar o mundo e perseguir todos aqueles que considerava serem de raças inferiores como os judeus ou os ciganos, e também todas as pessoas que lhe opusessem resistência. Esse homem chamava- se Adolf Hitler.

Esta história, escrita com grande sensibilidade, conta-nos como Heinrich e o seu amigo judeu, Jósef, apesar de tudo o que sofreram, conseguiram manter uma amizade que ficou para a vida.

A autora mostra-nos ainda como o amor pelos livros e pela leitura, e a capacidade humana de criar beleza são importantes para promover a paz entre os povos.
 
Livro vencedor do Prémio Literário Maria Rosa Colaço, Literatura Juvenil 2012, atribuído pela Câmara Municipal de Almada.

 
 Ler entrevista com a autora no programa LER+, ler melhor, da RTP.

 Ler um excerto (pdf).
 

 

Concurso Nacional de Leitura'15 | Fase distrital | obras selecionadas

 
 
 
 





Este ano, a organização da prova distrital do CNL estará a cargo da Biblioteca Municipal da Régua, que já deu a conhecer as obras selecionadas (duas para cada nível de ensino):
 




3.º CICLO DO ENSINO BÁSICO

 • O caderno do avô Heinrich, de Conceição Dinis Tomé

 • Trash – Os rapazes do lixo, de Andy Mulligan



ENSINO SECUNDÁRIO

 • A livraria, de Penelope Fitzgerald

Uma menina está perdida no seu século à procura do pai, de Gonçalo M. Tavares

 








O regulamento da prova de seleção distrital será dado a conhecer brevemente.




A Lista de Alunos Apurados na 1ª Fase | Escolas pode ser consultada aqui.

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

Palavras do mundo em desfile


 
 
 
Tema da Semana da leitura'15 dá o mote ao desfile de máscaras de carnaval da ESCCVR
 
 
 
 
 
 
 
 

 
 




 
 


 
 


 


 
Desfile de Carnaval da ESCCBVR
12 de fev de 2015
Turmas de Artes da Escola (10º,11º e 12º)